quinta-feira, 31 de outubro de 2013

58º DIA - "ENFERMIDADE" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA


58º Dia
"Enfermidade"

Leitura Diária: Lucas 14

“Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tornou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças” 
(Mateus 8:17).

Quando a Palavra de Deus diz que “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades” isto é uma verdade inquestionável; não é uma figura de linguagem, é uma afirmação.

Nenhuma pessoa está livre de ser acometida por uma enfermidade, isto faz parte do ciclo natural da vida. Quase sempre não estamos preparados para enfrentá-la. Alguns enfrentam enfermidades mais longas, outras mais passageiras, mas em todas as circunstâncias o abatimento é natural. Mas este abatimento não pode ser contínuo, mesmo nos casos de enfermidades mais graves ou longas, pois além dos cuidados médicos, que não podem deixar de ser buscados, nós temos em quem buscar sabedoria e amparo nesta hora.

Ao buscarmos os cuidados médicos necessários também buscamos a orientação e o amparo do Médico dos médicos. O Senhor, o nosso socorro bem presente, que já levou sobre si todas as nossas enfermidades. Temos a plena certeza de que jamais seremos abandonados, que jamais seremos esquecidos, que o socorro está sempre presente de forma tal que nenhuma enfermidade nos afetará para sempre, pois o Senhor já as levou sobre si e nos garante a paz nestes momentos de dores.

Nestes momentos podemos em oração entrar na presença do Senhor e colocar diante dele nossos pedidos e também a nossa gratidão pois Ele que tudo conhece sempre nos responde em sua imensa e eterna misericórdia. Por tudo isso podemos dizer: Graças te damos, ó Pai.

Oremos:
1) Em gratidão a Deus porque Cristo “tomou sobre si as nossas enfermidades”;
2) Por preparação vinda do alto para enfrentarmos os males que nos sobrevêm;
3) Por cura, alívio e conforto, segundo a vontade soberana de Deus;
4) Pelo amparo de Deus e da igreja às famílias que sofrem enfermidades; 
5) Pelos profissionais e sistemas de saúde e por avanços na medicina.







Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritor: Pr. Sócrates Oliveira - 
Diretor Executivo da Convenção Batista Brasileira
Tema da Semana: Famílias Saudáveis e os Desafios da Vida 






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

57º DIA - "FRUTIFICANDO NA MELHOR IDADE" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA


57º Dia
"Frutificando na Melhor Idade"

Leitura Diária: Lucas 13

O apóstolo Paulo orava pelo progresso espiritual dos colossenses com um objetivo específico, conforme explicitou na carta que Ihes escreveu: “… a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no pleno conhecimento de Deus. Sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade, com alegria dando graças ao Pai” (Colossenses 1:10 e 11).

E Jesus, em João 15:5, declara: “Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. Portanto, quem está ligado a Deus dá fruto. Que tipo de fruto? O fruto do Espírito, que é amor, alegria, paz, paciência, delicadeza, bondade, fidelidade, humildade e domínio próprio, conforme Gálatas 5:22. Temos essas virtudes em nossas vidas? Se fizermos um autoexame criterioso diante de Deus, descobri- remos que, para que o fruto do Espírito se manifeste cada vez mais em nossas vidas, precisamos intensificar nossa comunhão com Ele.

Além do fruto do Espírito, temos que pensar em sermos portadores das Boas-Novas de salvação para nossos familiares, amigos e conhecidos que não têm Jesus Cristo como seu Salvador. Segundo uma expressão comum entre nós, o fruto de um crente é outro crente. E lemos na Bíblia que aquele que “ganha almas, sábio é” (Provérbios 11:30 b).

Muitos pensam que, por estarem na terceira idade, estão na fase do descanso. Contudo, essa é uma boa fase para buscar mais a Deus, permanecer n’Ele, manifestar as virtudes ou o fruto do Espírito Santo e proclamar as Boas-Novas.

Contudo, nenhum cristão chegará à terceira idade dando frutos, se não tiver interesse em frutificar desde a juventude. Portanto, independentemente da faixa etária em que esteja, desenvolva o hábito de se aproximar das pessoas à sua volta com uma palavra amiga, com um folheto, com uma boa ação e, no momento oportuno, compartilhe com elas a sua experiência com Jesus Cristo. Faça a sua parte, que o Espírito Santo fará a obra. Você irá se surpreender com os resultados. Conforme o texto bíblico, você crescerá no conhecimento de Deus, será fortalecido no Seu poder, segundo a força de Sua glória. Assim, com alegria, dará graças a Deus Pai.


Oremos:
1) Para que ao chegar à melhor idade cada membro da família seja frutífero para a glória de Deus;
2) Para que os idosos cresçam na gratidão ao Senhor pelas bênçãos alcançadas;
3) Para que mostrem o fruto do Espírito no seu viver diário;
4) Para que cada família permaneça em Cristo todo o tempo e seja exemplo para os seus vizinhos e familiares que ainda não conhecem a Jesus.




Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Lúcia Margarida - 
Professora e Diretora Executiva da União Feminina Missionária
Tema da Semana: Melhor Idade Saudável






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

terça-feira, 29 de outubro de 2013

56º DIA - "A MELHOR IDADE E UMA FÉ OPERANTE" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA



56º Dia
"A Melhor Idade e uma Fé Operante"

Leitura Diária: Lucas 12

Em Hebreus 11:1, lemos o seguinte: “Fé é a certeza das coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem”. Ter fé, portanto, é crer sem ver, é confiar sem ter a prova. Essa prova vem com a resposta, que é sempre acompanhada de aumento da fé.

A Bíblia traz muitos exemplos de fé e confiança em Deus. No capítulo 11 de Hebreus, temos muitos desses exemplos: Pela fé, Noé construiu a arca e livrou sua família de extinção. Abraão, pela fé, obedeceu a Deus e partiu sem saber para onde ia. Depois, quando foi posto à prova, ofereceu seu filho ao Senhor (Gênesis 12:3; 22:15-17). Pela fé, Moisés, como que vendo o invisível, tirou o seu povo do Egito para conduzi-lo à terra prometida. Pela fé, Raabe, uma meretriz, acolheu em paz os espias e, em decorrência disso, escapou da destruição do seu povo. E o texto diz ainda: “E que mais direi ainda? Certamente me faltará tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e dos profetas. Os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam bocas de leões…”. E ainda nos servem de exemplo homens e mulheres do Novo Testamento: Pedro, Tiago, João, Maria Madalena, a mulher cananeia e tantos outros. Saindo das Escrituras, destacam-se, por exemplo, os mártires do cristianismo e Jorge Müller, que sustentou uma grandiosa obra de amparo aos órfãos tão somente pela fé, sem nenhuma promessa de ajuda financeira. E ainda hoje, quantas orações respondidas e quantos milagres estão abençoando pessoas que viveram pela fé.

E nós? Que tipo de fé estamos vivenciando? Se nossa fé está débil e por isso nos sentimos inseguros e preocupados, vamos dar atenção à nossa vida espiritual, intensificando a nossa comunhão com Deus. Se não buscarmos manter uma intimidade maior com Ele, investindo mais tempo em sua presença, nossa fé jamais irá se fortalecer.

Creiamos nas promessas da Palavra de Deus, busquemos com ardor a comunhão com o Senhor, dediquemos mais do nosso tempo ao estudo da Bíblia e à oração, sejamos luz por meio de nossa nossas vidas e palavras. Aí veremos nossa fé crescer e gozaremos da verdadeira comunhão com Deus.

Oremos:
1) Para que nossos irmãos na melhor idade continuem firmes e constantes no Senhor;
2) Para que olhemos para os exemplos de servos do passado e sejamos motivados a segui-los em nossas vidas;
3) Para que vejamos o cumprimento das promessas de Deus em nossas famílias;
4) Para que cada família seja fortalecida por meio da comunhão de cada um de seus membros com Deus.



Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Lúcia Margarida - 
Professora e Diretora Executiva da União Feminina Missionária
Tema da Semana: Melhor Idade Saudável






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

55º DIA - "A MELHOR IDADE E A EVANGELIZAÇÃO" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA


55º Dia
"A Melhor Idade e a Evangelização"

Leitura Diária: Lucas 11

“Mas em nada considero a minha vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para dar testemunho do evangelho da graça de Deus” 
(Atos 20.24).

O apóstolo Paulo tinha um projeto de vida, pelo qual estava disposto até mesmo; se fosse preciso, a morrer. Nada melhor nesta vida que ter um motivo pelo qual se está pronto a dar a própria vida.

Dar testemunho do evangelho da graça de Deus deve ser mais que um projeto, deve ser a razão do nosso viver. Seja qual for a profissão que exerçamos, devemos ter esse alvo por duas grandes razões:

A primeira, por obediência a Jesus Cristo, já que foi uma ordem deixada por Ele a todos os crentes.

Essa razão já seria suficiente, mas há uma segunda: Como podemos estar a caminho do céu e não indicar aos nossos queridos, conhecidos e até desconhecidos como chegar lá? Especialmente porque sabemos qual é o triste destino dos que não seguem Jesus, o único Caminho.

Não deixemos que nossos dias na terra cheguem ao fim sem participar de um projeto no reino de Deus.

Para os que estão na terceira idade, abrem-se muitas oportunidades de se envolverem em uma área do seu interesse. Isso fará com que tenham uma vida produtiva e muito mais feliz.

Vejamos alguns projetos dos quais pode participar uma pessoa da terceira idade: visitar os campos missionários, envolver-se com os projetos de Missões Nacionais e Mundiais específicos para a terceira idade, envolver-se com os projetos da igreja local na área de missões, evangelismo, ação social, visitação, alfabetização e tantos outros que a igreja desenvolva. E quem não pode sair de casa, pode usar o telefone, a internet, o correio e outros meios de comunicação. O que não podemos fazer é ficar parados, levando uma vida insossa e sem graça, por não termos um projeto que nos dê ânimo, alegria de viver e disposição para trabalhar para o reino do nosso Pai Celestial, apesar da idade e dos achaques a que estamos sujeitos.

Com um bom projeto de vida, não importa sua idade, sua existência será muito mais significativa e, com certeza, mais abençoada e abençoadora.

Oremos:
1) Para que cada membro da família esteja pronto para amar a Cristo em qualquer circunstância;
2) Para que testemunhemos o evangelho aos nossos familiares que ainda não conhecem a Jesus;
3) Pela salvação daqueles que não conhecem a Cristo;
4) Para que os jovens e a melhor idade conheçam, visitem e apoiem um campo missionário;
5) Para que cada um de nós use os recursos que Deus nos deu para anunciar as Boas-Novas de salvação a tempo e fora de tempo.





Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Lúcia Margarida - 
Professora e Diretora Executiva da União Feminina Missionária
Tema da Semana: Melhor Idade Saudável






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

54º DIA - "A MELHOR IDADE E A RESPONSABILIDADE COM AS GERAÇÕES FUTURAS" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA



54º Dia
"A Melhor Idade e a Responsabilidade com as Gerações Futuras"

Leitura Diária: Lucas 10


“Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o SENHOR, teu Deus, se te ensinassem, para que os cumprisses na terra a que passas para a possuir; para que temas ao SENHOR, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te disse o SENHOR, Deus de teus pais. Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” 
(Deuteronômio 6:1-7)

Uma das funções mais significativas que Deus planejou para a família é a de transferir os seus ensinos e preceitos através das gerações. “Para que temas ao SENHOR, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida” (v. 2) – diz o texto bíblico.

Nesse texto, vemos claramente a nossa responsabilidade de passar às gerações futuras os mandamentos do nosso Deus.

Diz o versículo 7: “…tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” Não é uma opção, é mandamento de Deus para nós, e os mandamentos dEle nos dão vida e nos abençoam.

O que estamos fazendo para cumprir essa ordenança do nosso Senhor? O culto doméstico é um momento especial para isso. Ele também é um excelente recurso para promover a unidade da família e transmitir os ensinos de Deus às novas gerações.

Toda criança, no tempo de Jesus, decorava trechos do Pentateuco, que era a Bíblia que havia na época.

Quando temos a Palavra gravada em nossas mentes, ela fica também gravada em nossos corações, para ser colocada em prática no momento oportuno. Não há legado mais importante que possamos deixar para nossos filhos, netos e sobrinhos que incentivá-los a memorizar textos bíblicos, que Ihes servirão por toda a vida. E esse incentivo será fortalecido pelo nosso exemplo de vida cristã.

Queridos irmãos, jovens, adultos e da terceira idade, dediquemo-nos a passar às próximas gerações o desejo de aprender cada vez mais a Palavra de Deus.


Oremos:
1) Para que os pais cumpram com suas responsabilidades perante as novas gerações;
2) Para que os pais inculquem em seus filhos o amor a Deus de todo o coração, alma e forças;
3) Para que os mais idosos sejam exemplo para os mais novos;
4) Para que as famílias não negligenciem a vida cristã dentro do lar;
5) Para que as novas gerações sejam motivadas a servir a Deus como fruto dos exemplo dos seus familiares mais experientes.




Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Lúcia Margarida - 
Professora e Diretora Executiva da União Feminina Missionária
Tema da Semana: Melhor Idade Saudável






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O QUE SÃO E POR QUE OS LIVROS APÓCRIFOS NÃO ESTÃO EM TODAS AS BÍBLIAS?




Etimologicamente, o termo “apócrifo” significa: “oculto”, “escondido”. É usado para designar os 14 ou 15 livros, ou partes de livros que, em algum tempo, foram colocados entre os livros do Velho e do Novo Testamento. Eles aparecem anexados nas versões Septuaginta e Vulgata Latina.

O vocábulo tem sido empregado de forma diferente por católicos e protestantes:
Para os protestantes “apócrifo” designa o conjunto de livros ou porções de livros que não fazia parte do cânon (lista de livros inspirados) hebraico;
Para os católicos “Apócrifo” se refere aos livros que os estudiosos protestantes chamam de pseudo-epígrafos.

Os livros que os protestantes chamam de “apócrifos”, os católicos chamam de “Deutero- canônicos”.

Para os protestantes, os livros apócrifos não foram inspirados por Deus. São importantes fontes documentais para o conhecimento da história, cultura e religião dos Judeus. Também muito úteis para nossa compreensão dos acontecimentos inter testamentários (entre o Velho e o Novo Testamento). Mas não para estarem lado a lado com a literatura canônica (inspirada por Deus), pois ao compararmos uma literatura com a outra, logo percebemos profunda e radical diferença no estilo, na autoridade e até nos ensinamentos.

A igreja Católica só se lembrou de incluí-los no Cânon (lista de livros inspirados por Deus) em 15 de abril de 1546, no Concílio de Trento, impondo-os aos seus fiéis como livros inspirados. Quem não aceitasse a decisão da igreja, seria por ela amaldiçoado.

Por que rejeitamos os apócrifos?

Se a mente divina inspirou a cada escritor, o produto destes diferentes autores deve estar em harmonia entre si.

Portanto, os primeiros livros se constituem o critério para todos os demais livros que se consideram ou são chamados de inspirados. Mas os livros conhecidos como apócrifos:

1. Não se harmonizam em ensino e doutrina com Moisés e outros profetas canônicos;

2. Nem Jesus, nem os apóstolos citaram os livros apócrifos como fonte de autoridade.


Por que então, a Igreja Católica continua apegada aos livros apócrifos? Porque as doutrinas fictícias dos apócrifos confirmam falsos ensinos da igreja, como por exemplo: oração pelos santos, falsas curas, dar esmolas para libertar da morte e do pecado, e salvação pelas obras.


Eis alguns ensinos de apócrifos:

1. Ensino da Arte Mágica – Tobias 6:5-8. Refutação bíblica: Marcos 16:17; Atos 16:18

2. Dar Esmolas Purifica do Pecado – Tobias 12: 8 e 9; Eclesiástico 3:33. Refutação bíblica: 1 Pedro 1:18 e 19; Judas 24

3. Pecados Perdoados pela Oração – Eclesiástico 3:4. Refutação bíblica: Prov. 28:1; 1 João 1:9; 2: 1 e 2.

4. Orações pelos Mortos – 2 Macabeus 12: 42-46. Refutação bíblica: Atos 2:34; Isaías
38:18; Lucas 16:26; Isaías 8:20.

5. Ensino do Purgatório – Sabedoria 3:1-4 (imortalidade da alma). Refutação bíblica: 1 João 1:7

6. O Anjo Relata uma Falsidade – Tobias 5: 1-19. Refutação bíblica: Lucas 1:19

7. Uma Mulher Jejuando toda Sua Vida – Judith 8: 5 e 6.
Esta é uma história parecida com outras lendas católicas com respeito a seus santos canonizados. 
Refutação bíblica: Uma mulher dificilmente jejuaria por toda sua vida. Jesus, mesmo sendo divino-humano, jejuou 40 dias, não pela vida toda: Mateus 4.1-2

8. Simeão e Levi mataram os habitantes de Siquém por ordem de Deus – Judite 9:2
Refutação bíblica: Deus não tinha nada a ver com isto: Gênesis 34:30; 49: 5-7; Romanos 12: 19, 17

9. A Imaculada Conceição – Sabedoria 8:19 e 20. Este texto é usado pelos católicos para sustentar a doutrina de que Maria nascera sem pecados. Refutação bíblica: Lucas 1: 30-35; Salmo 51:5; Romanos 3:23.

10. Ensinos da Crueldade e do Egoísmo – Eclesiástico 12:6. Refutação bíblica: Provérbios 25:21,22; Romanos 12:20; João 6:5; Marcos 6:44-48.

Há muitos outros ensinamentos errados, mas, creio serem estes suficientes para aceitarmos que tais livros devem realmente ficar fora da lista de livros inspirados.

Apócrifos do Antigo Testamento

1) O 1º Livro de Esdras;
2) O 2º Livro de Esdras; (Na versão Vulgata: O Esdra Canônico é chamado de 1º Esdras e Neemias de 2º Esdras; enquanto o 1º Livro de Esdras apócrifo é chamado de 3º Esdras).
3) Tobias;
4) Judite;
5) Adições ao Livro de Ester;
6) A Sabedoria de Salomão;
7) A Sabedoria de Jesus o filho de Sisaque, ou Eclesiástico;
8) Baruque;
9) A Carta de Jeremias;
10) A oração de Azarias e o Canto das Três Jovens;
11) Susana;
12) Bel e o Dragão;
13) A oração de Manasses;
14) O 1º Livro de Macabeus;
15) O 2º Livro de Macabeus;


Apócrifos Deutero-canônicos

1) Tobias;
2) Judite;
3) Adições ao Livro de Éster (10:4 – 16:22);
4) Sabedoria;
5) Eclesiástico;
6) Baruque;
7) Susana (Daniel 13);
8) Bel e o Dragão (Daniel 14);
9) 1º Macabeus;
10) 2º Macabeus;

Apócrifos do Antigo Testamento

Os apócrifos do Antigo Testamento podem ser facilmente identificados comparando os livros das Bíblias utilizadas pela maioria das “Sociedades Bíblicas” com uma Bíblia Católica.

Na comparação abaixo, os livros sublinhados constituem os apócrifos (chamados de Deutero-canônicos pelos Católicos). Aqueles não sublinhados são aceitos como canônicos por protestantes e Católicos.

Pentateuco: Gênesis, Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio;
Históricos: Josué, Juízes, Rute, 1 Samuel, 2 Samuel, 1 Reis, 2 Reis, 1 Crônicas, 2 Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester (com acréscimos), 1 Macabeus, 2 Macabeus.
Sapienciais: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria, Eclesiástico.
Proféticos: Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruque, Ezequiel, Daniel (com acréscimo), Oséias, Joel, Amós, Abdias (Obadias), Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

Total: 46 Livros

39 Canônicos
+7 Deutero-canônicos ( = aqueles sublinhados)

Apócrifos do Novo Testamento

Os apócrifos do Novo Testamento não oferecem problema porque são rejeitados por todas as igrejas cristãs. E não podia ser diferente. Observe o ensino, como por exemplo, do evangelho de São Tomé:

“Jesus atravessava uma aldeia e um menino que passava correndo, esbarra-lhe no ombro. Jesus irritado, disse: Não continuarás tua carreia. Imediatamente o menino caiu morto. Seus pais correram a falar com José, este repreende a Jesus que castiga os reclamantes com terrível cegueira”.

Tal relato não é compatível com a sublimidade dos ensinos de Cristo e é suficiente para provar que este evangelho é espúrio. “Trouxeram-lhe, então, algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse; mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus. E, tendo-lhes imposto as mãos, retirou-se dali.” Mateus 19:13-15.

Lista dos Apócrifos do Novo Testamento

1) Evangelhos: Evangelho Segundo Hebreus, Evangelho dos Egípcios; Evangelhos dos Ebionitas; Evangelho de Pedro; Protoevangelho de Tiago, Evangelho de Tomé; Evangelho de Filipe, Evangelho de Gamaliel; Evangelho da Verdade.

2) Epístolas: Epístola de Clemente; as 7 Espístolas de Inácio; aos Efésios, aos Magnésios, aos Trálios, aos Romanos, aos Filadélfios, aos Esmirnenses e a Policarpo; a Epístola de Policarpo aos Filipenses; Epístola de Barnabé.

3) Atos: Atos de Paulo, Atos de Pedro, Atos de João, Atos de André, Atos de Tomé.

4) Apocalipses: Apocalipse de Pedro, o Pastor de Hermas, Apocalipse de Paulo, Apocalipse de Tomé; Apocalipse de Estêvão.

5) Manuais de Instrução: Didaquê ou Ensino dos 12 Apóstolos, 2 de Clemente. Pregação de Pedro.

Total: 34 livros – são mais do que os Canônicos do Novo Testamento (que somam 27).

Muitos destes livros disputaram um lugar junto ao Cânon Bíblico, mas graças a Deus, foram rejeitados pela Igreja Cristã, assessorada pelo Espírito Santo. Se estes livros pertencessem à lista de livros inspirados por Deus, certamente manchariam a beleza da sã e pura Palavra de Deus.

Devemos, portanto, nos apegar apenas aos 66 livros como dignos de confiança em termos da revelação de Deus ao homem. Nestes livros, 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento, temos toda a revelação necessária para a salvação do homem. A Sociedade Bíblica do Brasil – com razão – adota estes 66 livros como padrão para as Bíblias que produz.


Fonte:  Prof. Jorge Mário em  Bíblia Online

53º DIA - "A MELHOR IDADE E UMA MENTE SAUDÁVEL" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA


53º Dia
"A Melhor Idade e uma Mente Saudável"

Leitura Diária: Lucas 9

“Escondi a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti. Nunca me esquecerei dos teus preceitos, visto que por eles me tens dado vida. Quanto amo a tua Lei! É a minha meditação todo dia” 
(Salmo 119:11, 93 e 97).

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” 
(Filipenses 4:8).

Para preservar a memória, precisamos mantê-la ativa e criativa. A partir dos 25 anos, a cada década, perdemos 2% das células cerebrais. Na juventude e na maturidade, ou estamos estudando ou estamos trabalhando, o que mantém a mente ocupada. Na terceira idade, precisamos arranjar atividades mentais, para que nossa memória não “enferruje”. Quando exercitamos nossa mente, novas conexões se formam entre os neurônios, e a memória mantém-se produtiva.

Quando chega a aposentadoria e deixamos nossa mente descansar, só dormindo, vendo televisão e fazendo tarefas que não exercitem a memória, vamos ficando mais preguiçosos e propensos a desenvolver depressão.

À proporção que o cérebro vai definhando, ele vai deixando de orquestrar as glândulas endócrinas secretoras de hormônios, o que acarreta várias consequências, como instabilidade no humor, déficit de energia e baixa imunidade.

Vamos encher a nossa mente da Palavra de Deus, que, conforme o Salmo 119:93, vai nos dar vida. Vamos seguir o conselho de Paulo aos filipenses e pensar apenas no que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável e de boa fama. Com certeza, nossas iniciativas e ações serão louváveis, assim seremos vistos como pessoas agradáveis pelos que nos rodeiam.

Buscar servir a Deus em um ministério ou trabalho na igreja de Jesus Cristo dá muito prazer em qualquer faixa etária, mas na terceira idade a mente agradece.

Oremos:
1) Para que preservemos nossa memória ativa e criativa;
2) Para que Deus permita que as nossas mentes sejam ocupadas com pensamentos saudáveis que glorifiquem o seu nome;
3) Para que tenhamos emoções equilibradas e sadias;
4) Para que a cada dia possamos pensar no que é verdadeiro, honesto, justo, puro e de boa fama;
5) Para que tenhamos iniciativas e ações que glorifiquem a Deus.




Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Lúcia Margarida - 
Professora e Diretora Executiva da União Feminina Missionária
Tema da Semana: Melhor Idade Saudável






Leia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):
  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...