segunda-feira, 21 de novembro de 2011

SÉRIE - BATALHA ESPIRITUAL - 06

06 – MINISTÉRIO DE LIBERTAÇÃO
(Pr. Dener R. Maia – 20/11/2011)



INTRODUÇÃO
Hoje vamos estudar sobre o Ministério de Libertação que cada Igreja, à sua maneira, já desenvolve, mesmo que não perceba. Tal ministério é parte integrante do “ser Igreja” de Cristo na terra. Neste estudo veremos que é mais do que simplesmente expulsar demônios das pessoas, mas levá-las a terem seus nomes escritos no livro da vida e a viverem a vida abundante que Jesus veio trazer para todos que o aceitarem.

1 – O Que é Um Ministério de Libertação numa Igreja?

O Ministério de libertação é parte do processo de evangelização, mas não é o centro. Além de expulsar os demônios de uma pessoa, é preciso levá-la a entender o plano de salvação e à conversão (evangelismo), quebrar todas as legalidades e pactos com as trevas e ajudá-la a assumir um compromisso real e definitivo com Cristo.

A obra redentora e de libertação de Jesus, delegada também à Igreja se resume no texto:
 “O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.” (Lucas 4:18-19)

É A SELAGEM NA NOSSA VIDA DE UM COMPROMISSO COM JESUS, UMA CONVERSÃO GENUÍNA, UM PACTO DEFINITIVO E TOTAL COM JESUS

2 - A AUTORIDADE VEM DE JESUS

Responda as seguintes perguntas:
• Porque os demônios se submetem?
• O que faz estas coisas acontecerem?
• Expulsar demônios é um dom?

Leia Lucas 10.1 – 20

17-Os setenta e dois voltaram alegres e disseram: “Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome”.
18-Ele respondeu: “Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago.
19-Eu lhes dei autoridade para pisarem sobre cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; nada lhes fará dano.
20-Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus”. (Lucas 10:17-20)

Nós aprendemos neste texto que:

• SE TEMOS AUTORIDADE E A EXERCEMOS EM NOME DE JESUS, ELA NÃO É NOSSA, É DE JESUS
• A AUTORIDADE É SOBRE TODO O PODER DO INIMIGO
• O FOCO NÃO É EXPULSAR DEMÔNIOS, MAS CONDUZIR PESSOAS À SALVAÇÃO EM JESUS

• ENTENDA A SUA POSIÇÃO

Leia: Mateus 28: 18-20 e Efésios 1. 20-23

O MEDO É A ANTÍTESE DA FÉ: Todo crente tem autoridade para promover a verdadeira libertação, que é plantar a semente do evangelho.
NÃO É PRECISO UM DOM ESPECIAL, UM “RAIO DE LUZ” SOBRE A CABEÇA PARA TER AUTORIDADE. SE PENSARMOS ASSIM, FICAREMOS COM MEDO.
COMPARTILHE JESUS, DISTRIBUA CONVITES, FOLHETOS, E-MAIL´S, TORPEDOS, SCRAPS FALANDO DE JESUS.
NÃO ADIANTA FRASES FEITAS: “TÁ AMARRADO”, “EU REPREENDO”, “EU DECLARO”. (Leia : Judas 1.9)

3 – ACUSAÇÃO E MENTIRA

“Então ouvi uma forte voz do céu que dizia: "Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite.” (Apocalipse 12.10)

Satanás é acusador e mentiroso. Seu objetivo é semear confusão no meio do povo, nos intimidar, nos desestabilizar e nos coagir. Minando nossa convicção e firmeza.

NÃO FIQUE DIALOGANDO COM O INIMIGO.

Responda: É preciso cair no chão como sinal de libertação?

NEM SEMPRE. HÁ FORTALEZAS DO ENTENDIMENTO, A PESSOA CRÊ EM MENTIRAS A RESPEITO DE SI MESMA, DA VIDA E DA FORMA DE CRER QUE PRECISA DE LIBERTAÇÃO.
JESUS NÃO ESTABELECEU FÓRMULAS NEM CARACTERÍSTICAS DA LIBERTAÇÃO.

“Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.” João 8:36

• EXPULSÃO DE DEMÔNIOS

EXPULSAR DEMÔNIOS É BÍBLICO, ERA PRÁTICA DE JESUS, FOI TAREFA DADA AOS DISCÍPULOS.
CONTUDO NÃO É O PRINCIPAL: Cuidado para não perder o foco.

“Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus". (Lucas 10.20)

Não dar ibope para o diabo. Não entregar o microfone nem ficar dialogando com os espíritos malignos

• EXORCISMO

(Mateus 12:25-28)
“25-Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: "Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá.
26-Se Satanás expulsa Satanás, está dividido contra si mesmo. Como, então, subsistirá seu reino?
27-E se eu expulso demônios por Belzebu, por quem os expulsam os filhos de vocês? Por isso, eles mesmos serão juízes sobre vocês.
28-Mas se é pelo Espírito de Deus que eu expulso demônios, então chegou a vocês o Reino de Deus.

• ENFRENTAMENTO (Mateus 16.21-23)

É preciso ficar atento às ciladas de Satanás. Suas setas malignas de maus pensamentos podem atingir a nossa mente ou pronunciada por alguém próximo a nós ou alguém que estimamos. REPREENDA PALAVRAS DE MALDIÇÃO, DE DERROTA, DE FALTA DE FÉ.

“Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês.” (Tiago 4:7)

• CUIDADO COM OS EXTREMOS

CUIDADO COM A NEURA: NÃO ADIANTA ESPIRITUALIZAR TUDO, VER AÇÃO DEMONÍACA EM TUDO.

• ADORAÇÃO E LOUVOR (SALMOS 149)

O LOUVOR LIBERTA. A BÍBLIA NARRA VITÓRIAS DO POVO DE DEUS OBTIDAS ATRAVÉS DE UMA ÚNICA ARMA: O LOUVOR.
NUM MOMENTO DE EXPULSÃO DE DEMÔNIOS, EXPERIMENTE LOUVAR.

“Altos louvores estejam em seus lábios e uma espada de dois gumes em suas mãos,” (Salmos 149:6)


4 – EXORCISMOS PRATICADOS POR JESUS



5 - A AUTORIDADE DADA POR JESUS AOS SEUS SERVOS

"e, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês receberam a plenitude." Colossenses 2:8-10

15- E disse-lhes: "Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.
16-Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.
17-Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas;
18-pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados". (Marcos 16:15-18)


CONCLUSÃO

• O Ministério de Libertação é mais do que um grupo de trabalho ou um evento de uma Igreja, faz parte da sua essência
• O poder e a autoridade para expulsar demônios e resistir ao diabo, vem de Jesus e nele somos mais que vencedores
• Toda acusação contra nós foi cravada na cruz, em Cristo somos verdadeiramente livres.


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

SÉRIE - BATALHA ESPIRITUAL - 05

05 – ESTUDANDO AS ARMAS DO INIMIGO
(Pr. Dener R. Maia – 13/11/2011)



INTRODUÇÃO
Estudamos sobre Possessão demoníaca; Opressão e Tentação. Mas além dessas há outras armas que Satanás lança mão para nos atingir. São artimanhas e ciladas que, se não vigiarmos, nos derrotarão nesta batalha espiritual


1 – SUTILEZA
“Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo que o SENHOR Deus havia feito. E ela disse à mulher: Foi assim que Deus disse: Não comereis de nenhuma árvore do jardim?” (Gênesis 3.1)

Era isso que Deus tinha dito? Não. Confira:

“Então o SENHOR Deus ordenou ao homem: Podes comer livremente de qualquer árvore do jardim, mas não comerás da árvore do conhecimento do bem e do mal; porque no dia em que dela comeres, com certeza morrerás.” (Gênesis 2.16-17)

O MAIS IMPRESSIONANTE É QUE EVA RESPONDE EXATAMENTE O QUE DEUS HAVIA DITO, ELA SABIA A PALAVRA DE DEUS DE COR, MAS ISSO NÃO FOI E NÃO É O BASTANTE PARA VENCER AS CILADAS DO INIMIGO.

O PRIMEIRO ERRO FOI DIALOGAR COM O INIMIGO.

A estratégia de Satanás com Eva:
• Deus não estava sendo verdadeiro
• Deus estava ocultando algo
• Deus não queria dividir o conhecimento com eles.



2 - FORTALEZA DO ENTENDIMENTO

Desvios doutrinários, erros de interpretação da Bíblia, revelações sem fundamentação bíblica, conformidade com o mundo e seus prazeres, têm causado o surgimento de heresias e o afastamento dos propósitos de Deus. Ex. Igrejas para Gays e Lésbicas

“Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com sua astúcia, também a vossa mente seja de alguma forma seduzida e se afaste da simplicidade e da pureza que há em Cristo.” (2 Coríntios 11.3)

A - IMPUREZA
O argumento: “Todo mundo faz, não se pode ficar alienado dos valores da nossa época.” Ex. Um pai que, na entrevista, disse todo orgulhoso que assim que a filha completasse 18 anos, a deixaria dormir com o namorado, mas dentro da sua casa.

A palestra da Sílvia: Ética. Nós estamos envolvidos por ética por todos os lados: Usar o cinto de segurança, fumar em ambientes fechados, bater ou repreender uma criança em público, etc.

A FRASE QUE NASCEU NO INFERNO: NÃO TEM NADA A VER.
ALGUNS PECADOS PASSAM A SER CONSIDERADOS NORMAIS. ALGUNS EXEMPLOS DE IMPUREZA QUE NOS SEDUZEM COM A BANDEIRA DO “NÃO TEM NADA A VER”:

• Avançar o sinal vermelho
• Subornar o fiscal ou policial
• Mentirinha branca
• Furar a fila
• Vender o voto
• Beber um pouquinho de vinho ou de cerveja em casa
• Ir a uma festa ou uma balada com os amigos
• Ir no motel com a esposa.
• Levar o filho na danceteria ou festa “rave”
• Namorar com uma pessoa não crente. (2Coríntios 6:14 Não vos coloqueis em jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? Que comunhão há entre luz e trevas?
• Ir a um show de um cantor famoso
• Sexo no namoro – pra quê virgindade?

B – DÚVIDA
O objetivo da dúvida é destruir a nossa fé.
• Dúvidas sobre Deus: sua existência, sua soberania, sua onipotência, etc.
• Dúvidas sobre seu amor: Deus vingativo, injusto, implacável, sádico, etc.
• Dúvidas sobre o seu poder ou interesse de interferir na nossa vida

C – MEDO
• Medo de sermos derrotados na batalha espiritual
• De não termos autoridade ou conhecimento suficiente para tanto
• Medo do futuro
• Medo de sermos mal interpretados

1 João 4.18: “No amor não há medo, pelo contrário, o perfeito amor elimina o medo, pois o medo implica castigo, e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor.”

TODO MEDO TERÁ FIM SE O QUE NOS MOVE É UM GENUÍNO AMOR A DEUS E ÀS PESSOAS.

D – MENTIRA
Gênesis 3. 2-4 “Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis; se o fizerdes, morrereis. Disse a serpente à mulher: Com certeza, não morrereis.”

João 8.44 “O vosso pai é o Diabo, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, pois nele não há verdade. Quando ele mente, fala do que lhe é próprio, pois é mentiroso e pai da mentira.”

AS MENTIRAS DE SATANÁS TENTARÃO:
• ME AFASTAR DE DEUS: pelo pecado, pela descrença no seu amor,
• ME AFASTAR DO MEU IRMÃO: fococa, intrigas, calúnias, mágoas, etc
• ME AUTO DESTRUIR: não perdoar-se, achar-se fora do alcance da misericórdia de Deus. CONSEQUÊNCIA DE PECADOS NÃO SÃO SINÔNIMOS DE INDIGNOS DE MISERICÓRDIA.

A Bíblia usa uma série de metáforas para descrever a “luta da fé” e as armas que o Senhor colocou à nossa disposição para dar-nos a vitória.

O CORREDOR E O BOXEADOR: “Portanto, corro não como quem não tem alvo; e luto, não como alguém que golpeia o ar.” (1 Coríntios 9.26)

O SOLDADO: “Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve com assuntos da vida civil, pois deseja agradar àquele que o alistou para a guerra.” (2 Timóteo 2.3-4)

O GUERREIRO: “Pois não é contra pessoas de carne e sangue que temos de lutar, mas sim contra principados e poderios, contra os príncipes deste mundo de trevas, contra os exércitos espirituais da maldade nas regiões celestiais.” (Efésios 6.12)


A ARMADURA:

“13. Por isso, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, permanecer firmes.
14 Portanto, permanecei firmes, trazendo em volta da cintura a verdade e vestindo a couraça da justiça,
15 calçando os pés com a disposição para o evangelho da paz,
16 e usando principalmente o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos em chamas do Maligno.
17 Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.
18 com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e, para isso mesmo, vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos,” (Efésios 6.13-18)

1 - VERDADE (V.14)
O Diabo é o pai da mentira, Jesus é o caminho, a verdade e a vida.
Querer ser cristão e não viver sobre a égide da verdade significa que há algo de errado nisso.

As consequências de compactuar com mentiras serão:
• Abrirão brechas para a atuação maligna na nossa vida
• Perda de autoridade
• Sentimento de culpa
• Perda da batalha

A VERDADE DOI UMA VEZ SÓ, ENQUANTO QUE A MENTIRA DOI PRA SEMPRE.




“Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno". (Mateus 5:37 - NVI)

2 - JUSTIÇA (V.15)
A nossa justiça se evidencia:
• No trato com as pessoas
• Em nossos relacionamentos
• Em nossos deveres como cidadãos
• Em nossos compromissos com o reino de Deus
• Em nossa fidelidade nos dízimos e ofertas

“Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus". (Mateus 5:20)

PRATICAR A JUSTIÇA É UMA FORMA DE RESISTIR AO DIABO E SUAS SUTILEZAS.

3 - DISPOSIÇÃO PARA O EVANGELHO (V. 15)
Quando nos dispomos a pregar o evangelho, estamos em luta direta com o diabo. Mas desta disposição, surge a força, a resistência às suas investidas.
Evangelho significa boas novas, boas notícias para aqueles que perecem.
Com os pés calçados assim, poderemos marchar confiantes e invadir o terreno do inimigo e de lá resgatar aqueles que estavam cativos e presos ao pecado.

4 - FÉ (V. 16)
Hino 366 CC : “ A minha fé e o meu amor estão firmados no Senhor”

Fé não é poder do pensamento positivo.
A Fé verdadeira provém da palavra de Deus. Nós a recebemos através de Jesus, o “autor e consumador da nossa fé.”
A fé vem pelo ouvir a palavra de Deus.

“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” (Hebreus 11:1)

5 - CAPACETE DA SALVAÇÃO (V. 17)
Protege a cabeça (a mente).
Com a mente entendemos o plano de salvação.
Se nossa mente e nossas convicções estiverem protegidas, nenhum vento de doutrinas, nem filosofias, nem padrões mundanos nos afastarão da presença de Deus e de uma vida que o glorifique através de nós.

6 - ESPADA DO ESPÍRITO (V. 17)
A palavra de Deus.
A nossa principal arma contra Satanás. Foi citando a palavra que Jesus venceu a tentação, resistiu e expulsou o diabo.
Precisamos cada vez mais meditar na palavra “de dia e de noite”

“Bem-aventurado aquele que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores; pelo contrário, seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita dia e noite.” (Salmos 1. 1-2)

“Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja corretamente a palavra da verdade.” (2 Timóteo 2:15)

CONCLUSÃO

• Sutileza se combate com astúcia e sabedoria. Peçamos a Deus que nos acrescente cada vez mais estas habilidades para vencer o diabo.
• Procure uma vida de pureza, rejeitando os padrões de comportamento do mundo.
• Revista-se da armadura espiritual contra os ataques do maligno.



terça-feira, 1 de novembro de 2011

DEZ MANEIRAS DE DESTRUIR UM CASAMENTO



Neste tempo de tantos ataques contras as famílias e os casamentos, é importante observar e vigiar nas nossas atitudes e ações que podem levar a destruição de nossos casamentos pelas nossas próprias mãos. Veja a seguir como um casal, através do abuso do poder, pode destruir o casamento:


1. Solicitar e exigir o centro das atenções

Uma pessoa que só pensa em si mesmo está sendo governada pelo orgulho. Esse é o veneno que mata qualquer relacionamento.



2. Manipular, mandar e castigar



A manipulação através da repreensão, desprezo, críticas, acusações e regularizações destrói o vínculo conjugal.




3. Negar intimidade

O cônjuge que deseja o poder muitas vezes irá criar e manter a distância do parceiro. O medo de perder o “controle” não permite intimidade. Esse tipo de abuso pode levar o parceiro ignorado a procurar calor, aceitação e amizade em outros lugares.




4. Apenas receber

“O que eu ganho com isso?”, é a pergunta na mente desse cônjuge. Algumas vezes o “recebedor” fará uso do charme, inteligência persuasão, desaprovação ou despr

azer para conseguir o que quer dos outros. A tendência de usar o cônjuge com fins egoístas, não colaborando e tentando manipulá-lo, pode destruir a auto-estima da pessoa que está sendo vítima deste abuso.
Se um cônjuge precisa sempre receber, o outro tem de se mostrar sempre liberal.



5. Buscando o controle – o (a) controlador(a)


Os que temem que a vida possa controlá-los, no geral viram a mesa a fim de certificar-se de que controlam os outros. O “controlador” se torna mestre em ocultar do cônjuge os seus sentimentos, intelectualizando as situações, a fim de evitar mostrar emoção. Este cônjuge priva o relacionamento da espontaneidade, no esforço de manter sua imagem de parceiro que mantém o controle.






6. Apresentando um imagem de retidão – o cônjuge fariseu



Infelizmente, muitos cônjuges pensam que sua bondade lhes trará realização, alegria, paz e felicidade na relação conjugal. Esta é a razão de se sentirem compelidos a apontar as fraquezas de outros. A briga neste tipo de relacionamento é caracterizada por um egoísmo que considera apenas os seus sentimentos e opiniões pessoais. O parceiro então desanima. Em razão de nunca ser suficientemente bom, o cônjuge abusado começa a assumir o papel de “mau” no relacionamento.




7. Mostrar-se superior



A prioridade aqui é ser melhor que os outros. Esta atitude, lamentavelmente, se reflete com mais freqüência nos cristãos. Na realidade, o cônjuge “superior” muitas vezes se sente inadequado ou não se acha a altura do parceiro. O abusador, então, compensa o seu sentimento esforçando-se para ser mais competente, eficiente, reconhecido e útil ao outro.
O parceiro oprimido, em conseqüência, se fecha no que diz respeito a correr riscos e compartilhar no casamento, temendo que suas palavras sejam interpretadas de maneira diferente da pretendida. Torna-se submisso, controlado, manipulado e cauteloso, procurando a todo custo evitar ferir a sensibilidade do cônjuge “superior”.




8. Buscando vingança



Quando o cônjuge se sente desarmado e traído, sem esperança de vir a ser aceito, quase sempre busca vingar-se. O parceiro desanimado pode começar a ferir seu cônjuge verbalmente ou fisicamente, a fim de ficar quites.
Acredite, algumas pessoas mantém registros em sua mente sobre relacionamento conjugal. A vingança se torna, portanto, uma obsessão, deixando o outro cônjuge numa posição decididamente desvantajosa.




9. Esperando demais



Quando as coisas não vão bem no casamento, a ameaça de rejeição pode provocar desânimo no cônjuge vitimado. Esta tática de poder, espera continuamente que o parceiro seja “mais e mais” e faça “mais e mais” para manter feliz o dominador. O parceiro mais fraco começa a compreender que, por mais que se esforce, jamais alcançará os padrões estabelecidos pelo “mais forte”. Expectativas irreais pode intimidá-lo a ponto de fazê-los sentir incapaz de vir a ser aceito um dia.




10. Reter afirmação e conhecimento



Quando deixamos de reconhecer o progresso e de apoiar a quem mais amamos, privamos o nosso parceiro da motivação que necessita para manter-se no caminho da excelência. Pegar na mão do cônjuge ou dar-lhe um abraço amável e amoroso irá operar maravilhas e ajudá-lo a melhorar cada vez mais. A espontaneidade de um beijo no rosto ou de um abraço apaixonado pode produzir o melhor dos efeitos e afirmar mais do que podemos imaginar em nosso casamento.


 


Fonte: Pr. Josué Gonçalves
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...