quarta-feira, 29 de junho de 2011

HUMOR: TIPOS DE CRENTES

1. O crente macaco. Que vive pulando de igreja em igreja;
2. O crente turista. Só vai para igreja passear;
3. O crente zumbi. Aquele que já está morto, mas pensa que está vivo;
4. O crente leão. Em casa, no trabalho e na igreja é uma fera;
5. O crente trapalhão. Na rua é todo abestado;
6. O crente marreta. É uma pancada só!
7. O crente raposa. Vive esperando um descuido para roubar o que não é seu;
8. O crente galinha d'angola. Só vive dizendo que está fraco;
9. O crente crocodilo. Chora que é uma beleza, mas tome cuidado com ele;
10. O crente Elvis Presley. Ta morto, mas continua fazendo sucesso!
11. O crente xarope. Só se toma uma vez, é muito enjoado!
12. O crente Saulo. Só toma jeito quando cai do cavalo;
13. O crente Judas. É aquele que trai por qualquer moeda;
14. O crente parabólica. Só vive ligado com o que não presta.


Fonte: Pr Geraldo Magela em seu blog

HUMOR: MARKETING GOSPEL AGRESSIVO


E por falar em teologia da prosperidade..........


Fonte: Cristão Confuso

RECADO DO PR. CIRO SANCHEZ ZIBORDI À "PASTORA" LANA HOLDER: "DE DEUS NÃO SE ZOMBA"



Ciro Sanches Zibordi é pastor, escritor, articulista, palestrante em escolas bíblicas. Autor dos best-sellers:
  • “Erros que os Pregadores Devem Evitar” e
  • “Erros que os Adoradores Devem Evitar”
  • “Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar”,
  • “Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria”,
  • “Adolescentes S/A”,
  • “Perguntas Intrigantes que os Jovens Costumam Fazer” e
  • “Teologia Sistemática Pentecostal”.
Colunista Convidado do The Christian Post, o pastor Ciro aproveitou o espaço para comentar sobre a "pregadora" Lana Holder e a trajetória de seu ministério e aproveita para mandar uma mensagem: "Que Saibam as Fundadoras da Comunidade Cidade de Refúgio: “De Deus não se zomba”

Leia o texto na íntegra:

Há alguns anos, eu ganhei de um gerente de loja evangélica uma fita de vídeo de uma famosa pregadora. O irmão me disse: “Os vídeos dessa irmã estão vendendo muito. Ela prega demais”. Desejoso de ouvir uma mensagem cristocêntrica, acabei me decepcionando...

* Ciro
Assustei-me com o que vi logo no primeiro minuto da “pregação” e nem assisti ao vídeo todo. A pregadora (pregadora?) imitava os trejeitos de famosos animadores de auditório e quase punha as entranhas para fora, ao pronunciar o aleluia final. E a sua exposição não tinha começo, meio e fim. Não sabendo aplicar bem a simbologia bíblica, ela atrelou o precioso sangue de Cristo a uma inundação de poder: “Receeeba o rio de sangue”.

Gosto muito de ouvir pregadoras que mantêm a feminilidade. Deus fez as mulheres sensíveis, delicadas, detalhistas, singularmente inteligentes e cativantes. Mas, assim como é estranho ver um pregador desmunhecando e rebolando, causa espanto assistir a uma pregadora que emprega gesticulação masculina e possui voz grossa, masculinizada.

Sem paciência para assistir ao vídeo, fui avançando, até chegar à parte pior... Depois gritar muito e empregar técnicas de manipulação de plateia do tipo olhe-para-o-seu-irmão-e-diga-isso-e-aquilo, a “pregadora” começou o testemunho que - como todos sabem - era o “carro-chefe” do seu ministério.

Com todos os trejeitos mencionados, a “avivalista” chama à frente o seu marido - ao som de muitas glórias a Deus - e diz que Jesus Cristo havia transformado a sua vida por completo, libertando-a da homossexualidade e dando-lhe uma linda família. Alguns anos depois, no entanto, a “pregadora” teve uma recaída...

Há pouco tempo, ela resolveu assumir a sua “orientação sexual” e fundar, junto com a sua companheira, a Comunidade Cidade de Refúgio, em São Paulo. Agora, ela, que visitou várias igrejas brasileiras e usou o nome do Senhor - em vão, é evidente - para contar o testemunho de que fora liberta do lesbianismo, está afirmando que o “sistema evangélico” a obrigava ser contrária à sua “orientação sexual”.

Ela passou rapidamente da condição de ex-homossexual para a de ex-heterossexual! Antes, uma pecadora arrependida, teve coragem de pedir perdão em público por ter tido uma recaída. Agora, dizendo-se vítima dos próprios evangélicos, funda uma “igreja inclusiva” para ajudar todas as pessoas, inclusive as que sofrem preconceito no meio evangélico...

Em resumo, a tal “pregadora” enganou o seu esposo, o povo de Deus e a si mesma. Mas nunca enganará o Espírito Santo! “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).


Fonte: Guia-me com informações do Christian Post

terça-feira, 28 de junho de 2011

PENSAMENTOS: TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

John Piper é Escritor e Pastor da Bethlehem Baptist Church in Minneapolis, Minnesota - EUA
Tradução: Felipe Sabino A. Neto
"Atrair as pessoas a Cristo prometendo riqueza é tanto enganoso como mortífero."
É enganoso porque quando o próprio Jesus nos chamou, ele disse coisas como: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:33).
E é mortífero porque o desejo de ser rico faz com que as pessoas caiam “na ruína e perdição” ("Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição".1 Timóteo 6: 9). Assim, aqui está o meu apelo aos pregadores do evangelho.

Fonte: Monergismo

John Piper é um dos mais importantes autores cristãos da atualidade. Ele estará pregando de 5 a 7 de Outubro de 2011 na Conferência Fiel, que tradicionalmente ocorre em Águas de Lindóia, no interior paulista. Piper também estará pregando em São Paulo na Universidade Presbiteriana Mackenzie nos dias 7 e 8 de Outubro de 2011. E no Rio de Janeiro ele pregará na manhã de 9 de Outubro de 2011.

sábado, 18 de junho de 2011

LANNA HOLDER E ROSANIA ROCHA INAUGURAM A PRIMEIRA IGREJA DE LÉSBICAS DO BRASIL


Os sinais da vinda do Senhor Jesus se mostram cada vez mais. Como se não bastasse as investidas do inferno que têm usado a mídia, os políticos e os poderes do nosso país para instaurar uma ditadura gay, agora surgem estas duas escravas do sexo para causar mais dano ainda ao evangelho e ao reino de Deus.

Três semanas depois de inaugurar uma igreja inclusiva e voltada para acolher homossexuais no Centro de São Paulo, o casal de "pastoras" Lanna Holder e Rosania Rocha pretende participar da Parada Gay de São Paulo, em 26 de junho, para "evangelizar" os participantes. Estudantes de assuntos ligados à teologia e a questões sexuais, as mulheres encaram a Parada Gay como um movimento que deixou de lado o propósito de sua origem: o de lutar pelos direitos dos homossexuais.

“A história da Parada Gay é muito bonita, mas perdeu seu motivo original”, diz Lanna Holder. Para ela, há no movimento promiscuidade e uso excessivo de drogas. “A maior concepção dos homossexuais que estão fora da igreja é que, se Deus não me aceita, já estou no inferno e vou acabar com minha vida. Então ele cheira, se prostitui, se droga porque já se sente perdido. A gente quer mostrar o contrário, que eles têm algo maravilhoso para fazer da vida deles. Ser gay não é ser promíscuo.”

As duas pastoras vão se juntar a fiéis da igreja e a integrantes de outras instituições religiosas para conversar com os participantes da parada e falar sobre a união da religião e da homossexualidade. Mas Lanna diz que a evangelização só deve ocorrer no início do evento. “Durante [a parada] e no final, por causa das bebidas e drogas, as pessoas não têm condição de serem evangelizadas, então temos o intuito de evangelizar no início para que essas pessoas sejam alcançadas”, diz.

Leandro Rodrigues, de 24 anos, um dos organizadores da Parada Gay, diz que existem, de fato, alguns excessos. “Mas não é maioria que exagera nas drogas, bebidas. Isso quem faz é uma minoria, assim como acontece em outros grandes eventos. A parada é aberta, e a gente não coíbe nenhuma manifestação individual. Por isso, essas pastoras também não sofrerão nenhum tipo de reação contrária. A única coisa é que o discurso tem que ser respeitoso.”

Negação e aceitação da sexualidade

As duas mulheres, juntas há quase 9 anos, chegaram a participar de sessões de descarrego e de regressão por causa das inclinações sexuais de ambas. “Tudo que a igreja evangélica poderia fazer para mudar a minha orientação sexual foi feito”, afirma Lanna. “E nós tentamos mudar de verdade, mergulhamos na ideia”, diz Rosania. As duas eram casadas na época em que se envolveram pela primeira vez.

"Sempre que se fala em homossexualidade na religião, fala-se de inferno. Ou seja, você tem duas opções: ou deixa de ser gay ou deixa de ser gay, porque senão você vai para o inferno. E ninguém quer ir para lá”, diz Lanna.

A pastora afirma que assumir a homossexualidade foi uma descoberta gradual. “Conforme fomos passando por essas curas das quais não víamos resultado, das quais esperávamos e ansiávamos por um resultado, percebemos que isso não é opção, é definitivamente uma orientação. Está intrínseco em nós, faz parte da nossa natureza.”

Igreja Cidade de Refúgio

Segundo as duas mulheres, após a aceitação, surgiu a ideia de fundar uma igreja inclusiva, que aceita as pessoas com histórias semelhantes as delas. “Nosso objetivo é o de acolher aqueles que durante tanto tempo sofreram preconceito, foram excluídos e colocados à margem da sociedade, sejam homossexuais, transexuais, simpatizantes”, diz Lanna.


O "casal" passou por sessões de descarrego e regressão
por causa da orientação sexual (Foto: Clara Velasco/G1)

Assim, a Comunidade Cidade de Refúgio foi inaugurada no dia 3 de junho na Avenida São João, no Centro de São Paulo. Segundo as pastoras, em menos de 2 semanas o número aumentou de 20 fiéis para quase 50. Mas o casal ressalta que o local não é exclusivo para homossexuais. “Nós recebemos fiéis heterossexuais também, inclusive famílias”, diz Rosania.

Apesar do aumento de fiéis, as duas não deixaram de destacar as retaliações que têm recebido de outras igrejas através de e-mails, telefonemas e programas de rádio e televisão. “A gente não se espanta, pois desde quando eu e a pastora Rosania tivemos o nosso envolvimento inicial, em vez de essa estrutura chamada igreja nos ajudar, foi onde fomos mais apontadas e julgadas. Mas não estamos preocupadas, não. Viemos preparadas para isso”, afirma Lanna (Fonte: Globo.com)

Esta postagem não tem o objetivo de promover a intolerância, a discriminação nem a retaliação - pois de nada adianta estas práticas - mas conclamar as Igrejas a intensificarem suas orações em favor do Brasil, peçamos a Deus que perdoe os nossos pecados e sare a nossa terra. Os dias são maus. Veja como já estão se cumprindo as palavras de Jesus sobre o fim dos tempos.
Mateus 24.9-12
"9. Então sereis entregues à tortura, e vos matarão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
10. Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão.
11. Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos;
12. e, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará."

Que Deus tenha misericórdia de nós!!!

Pr. Dener Maia

quinta-feira, 16 de junho de 2011

IMIGRANTES MUÇULMANOS SE ENTREGAM A JESUS NA ESPANHA



Louvado e bendito seja o nome do Senhor. Veja o que Deus está fazendo, salvando e transformando muçulmanos em adoradores do verdadeiro Deus.ALELUIA!!!!!

Um relatório publicado pelo jornal espanhol ‘El País’ contou como é uma cerimônia de batismo evangélico. “Você acredita em Jesus Cristo como único e suficiente salvador?” Ele pergunta, com voz firme, o pastor José Luis Fernández. “Sim”, responde no mesmo tom e é imerso no tanque batismal, do tamanho de uma pequena piscina.

Este modo de batismo é repetido todos os domingos na paróquia protestante de Espanha, mas, desta vez, na igreja em Les Roquetas de San Pere de Ribes (Barcelona), é especial: o batizado é Mohamed Karami, um engenheiro industrial de 37 anos, imigrantes marroquino . “É o primeiro ex-muçulmano que se batizou”, diz José Luis, orgulhoso.

Entre os fiéis, existem também dois marroquinos, como Mohamed, que renunciaram do islamismo para se tornarem cristãos. Há também, duas mulheres marroquinas, que preferem não se identificar

Mohamed, o batizado, disse que sua mãe, 73 anos e seu pai militares morreram durante a guerra no Sahara Ocidental, sem a conversão. “Algum dia eu vou a Marraquexe, eu vou contar meu testemunho da minha conversão”, diz ele.

Mohamed recorda que começou no cristianismo através de sua sogra, ela “gostava de orar e cantar com alegria.” “Para nós muçulmanos, é um pouco difícil demonstrar sentimentos”, lamenta. “O batismo é para mim a maneira para anunciar que você acredita e você deu sua vida ao Senhor”.

A fé que Mohamed mostra surpreendente. “Ao converter-se temos que superar muitos obstáculos, a violência psicológica mas ele crê que pode superar, pois minha fé é autêntica e esta muito contente”, diz Camille Eid.

Mohamed está claro por que ele se tornou evangélico e não-católicos: “Não posso aceitar que deve haver (além de Jesus), um intermediário entre Deus e mim.” A maioria dos convertidos ao cristianismo ex-muçulmanos opta pela fé protestante por razões mais de ordem prática: os pastores pregam o Evangelho mais do que os padres católicos.Disse.

Said, o ministro argelino, por exemplo, dedica parte da tarde no sábado para reunir-se em uma igreja metodista na Rue de Aragão, em Barcelona, ​​uma dúzia de convertidos vão como ele, com tantos imigrantes marroquinos que “querem saber o que a nossa religião “.
 
Em torno de um lanche modesto, os primeiro convertidos contam seus testemunhos, e os outros dizem que: “Cristo nunca disse que seria fácil segui-lo”, explica Said. “Não se deixe intimidar”, continua ele. “Temos de levantar alto a bandeira”. “As batalhas são ganhas com as palavras e não com armas.” “E a palavra é Cristo”. Então leia a Bíblia e, finalmente, vamos orar para converte os árabes e espanhois. Disse Said.

Quantos muçulmanos se converteram ao cristianismo este ano na Espanha?

Não há estatísticas. Na França, onde a maior comunidade muçulmana é estimada em cerca de 600.Na Espanha, eles são certamente menos, muito menos que o número de espanhois que se dizem muçulmanos e proclama isto. Logico, de acordo com Camille Eid, “porque no Islã há apenas uma porta de entrada, mas não tem a de saída.”
 
Fonte: El País

sexta-feira, 10 de junho de 2011

DEVOCIONAL - O QUE É MAIS IMPORTANTE?



“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” (Mateus 6.33 - NVI)

Um repórter do "New York News" perguntou a seis pessoas:
– Qual a coisa mais importante em tua vida cotidiana?
A primeira pessoa disse:
– Encontrar pessoas, de todos os tipos e raças.
A segunda:
– Minha namorada, Teresa.
A terceira:
– Dirigir um caminhão pelas ruas da cidade sem ter acidente algum.
A quarta:
– Dar comida a todos os que têm fome.
A quinta:
– Meu trabalho diário.
A sexta:
– Estar com minha família depois de um dia de trabalho.
É interessante como nenhuma destas pessoas pôs em primeiro lugar suas condições espirituais. O Senhor Jesus disse: "Buscai primeiramente o reino de Deus e sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas." – (Tom Oslon).

Se você está começando o seu dia agora, certamente assim que acordou veio à sua mente uma lista de coisas e tarefas que você tem pra cumprir neste dia. Se, por outro lado, você está no seu trabalho agora ou já voltando para casa, também está realizando algo importante ou já terá feito tantas coisas que te deixaram muito cansado.

Cada um tem seus afazeres, seus horários, sua rotina e suas prioridades. Mas, assim como vimos no exemplo acima, uma coisa é vital e indispensável para um dia produtivo: Buscar a Deus em primeiro lugar.

Eu sei que para todos nós, que corremos tanto hoje em dia, que mal paramos em casa, que vivemos correndo atrás do relógio, que ficamos horas no trânsito, é difícil tirar um tempo a sós com Deus, (...) mas não é impossível. Veja o exemplo de Jesus.

Mesmo com a sua agenda cheia, antes ou depois de atender à multidão e aos discípulos, Jesus sempre tirava um tempo para orar, para estar em comunhão com o Pai. Há vários textos nos evangelhos que narram este bom hábito de Jesus.

Agora responda: Será que eu e você não precisamos mais do que Jesus de ter um momento de comunhão com Deus? Tenho certeza que sim.

Por mais abarrotado que nós estejamos de compromissos, vamos tirar um tempo dedicado só a Deus. Para falar com ele, para adorá-lo, para meditar na sua palavra, para ouvir a sua voz, para chorar aos seus pés, para lhe pedir que abençoe as obras de nossas mãos e para agradecer as bênçãos recebidas da sua divina mão. Fazendo assim, todas as coisas que aquelas seis pessoas acima pediram, e todas as coisas que nós pedirmos, nos serão acrescentadas.

Oração: Senhor ajuda-me a priorizar o teu Reino em minha vida. Dá-me um dia abençoado na tua presença. Que tudo que eu fizer seja para tua glória. Amém.
 
Pensamento para o dia: Nada que eu fizer terá sucesso se não começar aos pés do meu Deus.

Autor: Pr. Dener R. Maia
11 de Junho de 2011
 

HUMOR - PASTOR ULTIMATE FIGHT




Longe de mim querer brincar com as coisas de Deus, mas é lamentável o que alguns "pastores" tem feito nas Igrejas. É difícil não rir diante de tanta bizarrice!!!




Fonte: YouTube

quinta-feira, 9 de junho de 2011

DEVOCIONAL - O JUSTO PELOS INJUSTOS



“Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito,” (1 Pedro 3.18)

Talvez vocês já tenham ouvido a história de um jovem romano que fora condenado à morte. Tinha cometido um crime de traição e acabava de ser condenado à morte pelos juízes, quando se adiantou o seu irmão mais velho que tinha servido à pátria nos campos de batalha, defendendo-a contra os inimigos e perdendo os dois braços.

Este, pondo-se em pé diante dos juízes, erguendo os tocos dos braços decepados, intercedeu pela vida do irmão; não pelo que o irmão fizera, mas pelo que ele, o intercessor, fizera. Reconhecia que o seu irmão era criminoso e merecedor da morte; mas, pelo que tinha feito em defesa da pátria, implorava que a vida lhe fosse poupada. Considerando os argumentos deste nobre romano, os juízes, pelos seus merecimentos, perdoaram o irmão criminoso.

É exatamente o que Cristo faz por todos nós, pecadores. Cristo morreu no Calvário para que pudéssemos viver. Nós merecemos a morte; mas, pela intercessão de Cristo, que deu a Sua vida para nos salvar, Deus perdoa os nossos pecados. (The Traveler's Guide).

Ao tentar explicar a graça de Cristo Jesus, qualquer crente, ou até mesmo um teólogo, enfrentarão grandes dificuldades para fazerem-se entendidos por um interlocutor descrente. Somente quem já foi alcançado pela graça, conseguirá entender um pouco sobre tamanha graça.

O significado rápido para a palavra graça é: Favor imerecido. A graça nada tem a ver com merecimentos, nem boas obras ou barganhas, mas sim com um inexplicável amor de um Deus Santo, criador de todas as coisas, que decide livrar da morte certa, suas criaturas.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;” (Efésios 2.8-9)

Assim como na história acima, nós éramos com aquele jovem, condenado à morte. Assim como ele, sobre nós estava uma sentença de morte, não havia nada em nós que pudesse revogar nossa sentença. Mas Jesus, com seu incomensurável amor, entra em cena. O justo morrendo pelo injusto para satisfazer a justiça de Deus e para rasgar a cédula que era contra nós. Aleluia

Não há pecado ou transgressão que o sangue de Jesus não possa perdoar. Se você se acha indigno, um caso perdido, o maior dos pecadores, (...) eu quero lhe dizer que foi por você que Jesus deu a sua vida e Ele te recebe de braços abertos. Basta que você abra seu coração e peça a Jesus que perdoe seus pecados e seja o Senhor da sua vida. A graça de Jesus não é algo para se explicar, mas somente para aceitar. Abra o seu coração para Jesus e receba sua maravilhosa graça.

Oração: Senhor, eu te agradeço pela salvação em Jesus. Entra no meu coração e ajuda-me a viver uma vida plena em ti. Amém.

Pensamento para o dia: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16)


Autor: Pr. Dener R. Maia
09 de Junho de 2011

quarta-feira, 8 de junho de 2011

DEVOCIONAL - SEJA AMÁVEL E CORTÊS



“Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.” (Romanos 12.10)

Vivemos a era do egocentrismo. A satisfação do meu ego está acima de qualquer interesse e até mesmo acima dos valores de toda uma sociedade. Dias de individualismo e de egoísmo. Cada pessoa sente-se o centro do universo. Cada um anseia que a sua causa seja considerada, mesmo que para isso o seu próximo seja prejudicado. Com isso, atitudes simples de cortesia, de fino trato, de pessoas bem educadas, estão ficando cada vez mais escassas no dia-a-dia das grandes cidades. Graças a Deus que nas pequenas cidades do interior, ainda conseguimos ver as pessoas te desejando um bom dia ou boa tarde, mesmo sem te conhecerem. A pessoa não te conhece, mas, por uma questão de educação, de costume, de ter aprendido que o certo é agir assim.

Ilustração: Conta-se que o general Lee dirigia-se de trem para Richmond. Havia muitos homens no vagão. Numa das estações embarcou uma senhora bastante idosa e visivelmente enferma. Tinha já percorrido quase todo o carro, quando chegou junto do general, que se levantou e lhe deu o lugar. Imediatamente muitos homens se ergueram para oferecer ao atencioso militar a sua cadeira. "Obrigado, cavalheiros" – respondeu ele – "onde não há lugar para uma senhora idosa e respeitável, muito menos haverá para um general." – (O.S. M.)

Atitudes como esta do general Lee, podem e devem fazer parte de nossos hábitos cotidianos. Nós cristãos, principalmente, devemos praticar estes gestos simples como: levantar-se para idosos ou mulheres grávidas se sentarem, ajudar alguém a carregar as compras, saudar os passageiros de um elevador com um bom dia, ou boa tarde ou boa noite, (...) agradecer ao carteiro, ao gari, ao frentista pelo seu serviço prestado, respeitar o pedestre, o motociclista ou outros motoristas no trânsito, (...)

O texto que lemos acima nos trás um desafio e tanto: “dar honra mais aos outros do que a si próprios”. Mas, por mais desafiador que seja, é isso que Jesus veio nos ensinar e espera que façamos como verdadeiros discípulos dele.

É triste observar que esta atitude tem faltado até mesmo dentro de nossas Igrejas. Irmãos que travam verdadeiras batalhas entre si nas disputas pelos cargos mais proeminentes da Diretoria (...), membros que maximizam os defeitos de seu líder ou pastor, ignorando ou obscurecendo suas virtudes. Faça um propósito de ser mais amável, de preferir o outro em honra, de respeitar as autoridades constituídas dentro e fora da Igreja, de ser mais atencioso (a) com o seu cônjuge, com os filhos e demais membros da sua família, de ser mais cortês com seus visinhos e demais pessoas que o cercam. Agindo assim, faremos com que o bom perfume de Cristo se espalhe por onde passarmos.

Oração: Senhor, ajuda-me a ser mais amável, cortês e educado com todas as pessoas, indiscriminadamente.

Pensamento para o dia: Eu sou responsável por fazer a diferença na minha geração.


Autor: Pr. Dener R. Maia
08 de Junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

O VALOR DE UM PASTOR (PARA O DIA DO PASTOR)



No segundo Domingo de Junho é comemorado o Dia do Pastor. Neste tempo em que a figura do Pastor tem sido tão desprestigiada, tão atacada e também tão incompreendida, vale a pena esta esta reflexão. É verdade sim que há verdadeiros lobos disfarçados de pastores, mas há também aqueles que cumprem seu chamado, que se desgastam e dão as suas vidas pelas ovelhas e pelo ministério. Vale a pena uma oração pelo seu pastor, vale a pena aferir e conferir os reais valores deste ser humano, cuja responsabilidade é tão vital: Conduzir seu rebanho ao aprisco seguro do Senhor. Que Deus abençoe os nossos pastores.  

O valor de um pastor não é medido por sua popularidade,
poder de persuasão ou quantidade de pessoas que atrai,
mas sim por seu caráter e fidelidade a Deus (Jo 6.66 e 67);

O valor de um pastor não é medido pela aprovação de homens,
mas pela aprovação de Deus.
O pastor é segundo o coração de Deus
e não segundo o coração dos homens (Jr 3.15);

O valor de um pastor não é medido pelo tamanho de sua igreja,
mas por suas qualidades éticas, morais e espirituais;

O valor de um pastor não é medido pelo volume das entradas financeiras de sua igreja,
mas por sua capacidade de suprir seu rebanho com a Palavra de Deus.

Há pastores que se preocupam com a lã.
Há pastores que se preocupam com as ovelhas.

O valor de um pastor não é medido pelo salário que ganha,
mas pelo serviço que presta;

O valor de um pastor não é medido por sua capacidade política e de articulação,
pois muitas vezes ele deixa de ser “politicamente correto”
para permanecer justo e reto diante de Deus;

O valor de um pastor não é medido pelos cargos que ele ocupa na denominação,
mas pelo serviço que presta à Obra de Deus;

O valor de um pastor não é medido pela satisfação de seus ouvintes,
mas por sua pregação coerente aos valores do evangelho bíblico
capaz de transformar vidas.
A sua mensagem, ao invés de massagear o ego humano,
às vezes desagrada por confrontar o ouvinte com a verdade;

O valor de um pastor não é medido pelo seu poder ou status,
mas por sua submissão e obediência a Deus;

O valor de um pastor não é medido por sua autossuficiência.
O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza de homens
que às vezes julgamos fracos e incapacitados (2ª Co 12.9);

O valor de um pastor não é medido por sua condição física,
mas por sua condição espiritual;

O valor de um pastor não é medido pela quantidade de amigos ou pessoas que o rodeiam,
mas sim por seu amor às pessoas;

O valor de um pastor não é medido pelos seus discursos,
mas pela autoridade de seu viver (Mt 7.9);

O valor de um pastor não é medido pelo crescimento quantitativo
ou não da membresia de sua igreja,
mas pelas transformações que suas mensagens
geram em seus ouvintes.
Há por aí templos cheios de pessoas perdidas,
e igrejas pequenas onde pessoas experimentam a salvação em Cristo;

O valor de um pastor não é medido pelo seu poder de empolgar sua igreja ou plateia,
pois seu chamado é para pastorear e não para “animar” auditório;

O valor de um pastor não é medido pelas crises que passa ou deixa de passar,
mas pela maneira como se comporta em momentos difíceis;

O valor de um pastor é medido por critérios divinos e não humanos.
O pastor é dependente de Deus, e não de homens;

O pastor é homem frágil e pequeno, por meio do qual Deus
realiza coisas grandes e extraordinárias;
O pastor sabe que seu chamado é para pastorear
e não para gerir empresas; ele não se preocupa com números
mas com a saúde de suas ovelhas;

O verdadeiro pastor não se “contextualiza” ao mundo,
mas se esforça para tirar vidas do mundo;
O pastor de valor forma valores;

Se você tem um pastor, agradeça a Deus, ore por ele e ame-o!



 

Fonte: Pr. Cleber Montes Moreira
http://pastorcleber.blogspot.com.br/


quarta-feira, 1 de junho de 2011

SETE ERROS DE COMUNICAÇÃO QUE OS CASAIS COMETEM



Existem alguns casais que podem viver brigando com freqüência, apesar de orar, de ler a Bíblia e de se amarem. Facilmente por qualquer bobagem se desentendem. E assim, podem chegar ao ponto de se agredirem mutuamente por meio de palavras proferidas com raiva e ressentimentos.
O apóstolo Paulo faz a seguinte advertência:
“Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos.” – Gálatas 5:15.



À luz da Bíblia pode-se afirmar que é possível discordar sem brigar, discutir sem se ferir, falar a verdade sem magoar.

Portanto é necessário que o casal reconheça que possui maus hábitos na maneira de conversar (às vezes, herdados imperceptivelmente de outras pessoas) e comece um processo espiritual de colocar em prática algumas dicas bíblicas de comunicação em sua vida conjugal.

1- Não Falar o Que Está Acontecendo Consigo

“Então, lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui e vigiai comigo.” – Mateus 26:38.



O exemplo de Cristo em comunicar Seus mais íntimos sentimentos elucida a importância psicoemocional do diálogo sincero e aberto em nossos relacionamentos. No tocante ao casamento, entendemos que a comunicação pode fluir de forma íntima e verdadeira se houver entre o casal uma base sólida de companheirismo, compreensão, cumplicidade e confiança a ponto de poder expor para o outro, sem ter medo, o que está acontecendo em sua mente e coração. Esse é o nível mais íntimo de comunicação que um casal pode atingir em seu relacionamento: A revelação do que está acontecendo consigo. Essa liberdade de expressão é fundamental para se saber como fazer o outro feliz.

Ilustração: Ao comemorar as bodas de ouro, certo casal foi entrevistado por um repórter que desejava saber o segredo de um casamento tão duradouro. Então, sentindo-se orgulhoso, o marido respondeu:
- Você conhece o pão-bengala? A parte da qual mais gosto é o bico desse pão, mas desde que nos casamos, eu o corto e dou para minha mulher.
O repórter então resolve fazer a mesma pergunta à esposa que não estava perto quando o marido respondeu. Ela então repondeu:
- Sabe aquela pontinha do pão-bengala? É parte do que pão que eu mais detesto, mas desde que nos casamos, ele corta esta parte pra mim. Mas por amor a ele, eu como assim mesmo.
Eis então o segredo daquele casamento: O amor que renuncia, o amor que tudo suporta.


2- Viver Mentindo e Reclamando

“Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações.” – 1 Pedro 2:1.



O amor, a confiança e a verdade geram intimidade. Isso é um princípio: Não existe intimidade num casamento sem verdade. Quando um dos cônjuges começa a mentir e enganar o outro, às vezes, por medo de ofendê-lo, pouco a pouco vai se metendo em situações cada vez mais difíceis.
Por isso, Ralph W. Emerson disse:
“Aquele que profere uma mentira não pode avaliar em que enrascada se meteu, pois precisará inventar mais vinte mentiras para encobrir a primeira.”
E assim, transformará sua vida conjugal em uma teia de mentiras, a qual mais cedo ou mais tarde se romperá de forma dolorosa.
O casal que não vive reclamando, e nem esconde nada um do outro, atingirá um excelente nível de segurança e satisfação no relacionamento. A liberdade de falar a verdade, com amor, proporcionará ao casal uma comunicação plena e saudável.


3- Não Parar Para Ouvir

“Todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” – Tiago 1:19.



Quando temos pouca disposição para ouvir nosso cônjuge transmitimos a impressão de que o que ele pensa e sente não são tão importantes para nós. E assim, quem não quer ouvir se aborrece e quem quer falar se sente desvalorizado e rejeitado. Se isso acontece com você, use um cronômetro mental e procure investir mais tempo para ouvir seu cônjuge de duas formas: Por meio dos ouvidos (você ouve o que ele está dizendo) e pelo coração (o que ele está sentindo). Desenvolva a habilidade de ouvir seu cônjuge com interesse. Pare o que está fazendo e preste atenção no que ele está dizendo, ainda que você esteja assistindo a uma partida de futebol na televisão, ou seu seriado predileto (risos). Demonstre atenção por meio dos olhos e da expressão facial e corporal. Ele vai se sentir amado, valorizado, compreendido, aceito e apoiado. Essa atitude, ouvir mais e falar menos, vale por mil “eu te amo!”. Se, de repente, não for possível ouvir o outro naquele momento, diga-lhe: “Eu sinto muito não poder dar a atenção que você merece agora, mas a gente pode conversar melhor tal hora.”

Mulheres, para evitar falar com as paredes, lembrem-se dessa dica: De acordo com o terapeuta de casais Steve Stephens, geralmente a atenção de um homem dura três minutos, depois disso é aconselhável fazer-lhe perguntas e tocar nele com carinho, a fim de que ele mantenha a atenção no que você diz.


4- Falar Com Raiva

“Irai-vos e não pequeis; não se ponha o Sol sobre a vossa ira.” – Efésios 4:26.



A única forma de não pecar por causa da ira que está sentindo é estabelecer como hábito a prática espiritual de nunca falar ou fazer alguma coisa com raiva. Pois, 99,99% das vezes que falamos ou fazemos qualquer coisa com raiva erramos. Por isso, dê sempre um tempo, pois a ira vem, mas passa se você não alimentá-la em seu coração por meio de pensamentos e palavras. Lembre-se do que a Bíblia afirma:
“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” – Provérbios 15:1.
Suscita a ira tanto no coração de quem ouve como de quem fala.

Ilustração: Conta-se que depois de muitos anos de economia, certo rapaz comprou seu primeiro carro. Ele cuidava daquele carrinho “velho-novo” com muita dedicação. Um dia, ele foi passar o final de semana na casa da namorada que morava em outra região do país. Quando retornou viu que seu carro não estava como ele havia estacionado, e mais, havia um arranhão numa das portas e o pneu estava baixo. Ficou mais irado ainda, quando descobriu a causa de tudo: seu irmão havia usado o carro, escondido. A fúria foi tão grande que ele decidiu ir ao encontro do irmão que estava na faculdade. Ao tomar conhecimento, seu avô o chamou à parte e lhe disse: Você se lembra quando pegou o sapato emprestado de seu irmão e o sujou todo de lama? Você queria lavá-lo imediatamente, mas eu recomendei que esperasse o barro secar, pois assim ficaria mais fácil limpá-lo? Então, espere a raiva secar e depois vá falar com seu irmão. Dessa forma evitaremos briga em família. E as brigas, meu querido neto, muitas vezes não resolvem os problemas, agrava-os ainda mais.


5- Falar ou Responder Com Rispidez e Agressividade

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.” – Colossenses 4:6.



Em qualquer situação esse é o princípio que deve reger nossa comunicação na vida a dois. A maneira como falamos ou respondemos ao nosso cônjuge é mais importante do que o que e como ele fala. Se a sua palavra ou resposta sempre for agradável e temperada com pitadas de sal de sabedoria, de compreensão e mansidão dificilmente haverá retaliação, feridas emocionais e ódio. Por isso, sempre prefira falar ou reagir com sabedoria e delicadeza, ao invés de rispidez e agressividade.

Ilustração: Certo dia, o Sol e o vento estavam discutindo diante da natureza sobre qual deles era o mais forte. De repente, surgiu um velhinho que estava caminhando em direção a sua casa. O vento decidiu desafiar o Sol dizendo:
- Aposto que consigo tirar o casaco daquele velhinho mais depressa do que você.
A natureza pegou o cronômetro e o Sol se escondeu por trás de uma nuvem. Então, o vento começou a soprar e quanto mais forte soprava, mais o velhinho se encolhia embrulhando-se no casaco. Quando o vento quase ia se transformando em furacão a natureza disse: - Basta! Assim você vai matar o velhinho.
Por sua vez, o Sol saiu, olhou e sorriu para o velhinho. E este foi logo tirando o casaco e enxugando o suor da testa com o lenço. Assim não só ficou provado que o Sol é mais forte do que o vento, mas que a delicadeza é melhor do que a fúria.


6- Falar Sem Avaliar Primeiro o Que Vai Dizer

“As pessoas sábias pensam antes de responder, as pessoas más respondem logo, porém as suas palavras causam problemas.” – Provérbios 15:28 (Nova Tradução na Linguagem de Hoje).



Não se precipite! Exerça domínio próprio a ponto de ouvir, com equilíbrio emocional, tudo o que seu cônjuge tem para lhe dizer. Não cometa o erro de interrompê-lo porque isso poderá deixá-lo irritado. Não peça, impaciente, que ele fale com calma porque isso é uma incoerência. Avalie sempre o que vai dizer. Não use o silêncio como resposta porque isso poderá fazer com que ele pense que está certo, ou que você o está menosprezando. É necessário falar, mas é importante avaliar primeiro sobre o impacto que suas palavras irão causar no coração dele. Por isso, o apóstolo Paulo aconselha:
“Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam...” – Efésios 4:29 (Nova Tradução na Linguagem de Hoje).




7 - Ameaçar, Censurar, Criticar e Condenar Quando o Outro Erra

“Irmãos, se alguém for surpreendido em alguma falta, vós, que sois espirituais corrigi-o, com o espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.” – Gálatas 6:1.



Quando um dos cônjuges erra, não precisa que o outro lance contra ele as pedras da crítica, censura, condenação e ameaças porque sua própria consciência já o apedreja. Por isso, corrija-o, espiritualmente, com a brandura da sabedoria e do perdão, a fim de que ele se sinta encorajado, por amor, a vencer seu erro. Experimente essa fórmula bíblica, e você verá que ao plantar uma flor de brandura no coração de seu cônjuge, surgirá um jardim de paz no seu casamento.

Creio que estas dicas funcionam, no entanto, faz-se necessário que vocês:

Orem. O salmista afirma:
“Ainda a palavra me não chegou à língua, e Tu, Senhor, já a conheces toda.” – Salmo 139:4.
Uma vez que é assim, clame do íntimo de seu coração, quando sentir-se tentado a falar de uma forma que não deveria;
“Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios.” – Salmo 141:3.



Memorizem e recitem:
“Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.” – Provérbios 25:11.



Pratiquem. Pois, a Bíblia afirma o seguinte:
“Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes, engana o seu coração, a religião desse é vã.” – Tiago 1:26.


Que Deus os abençoe como casal e que o Espírito Santo lhes ajude a terem uma comunicação livre de falhas e interferências, para que o amor que os uniu se fortaleça cada vez mais. Deus abençoe!
Pr. Dener & Sílvia Maia



Fonte: Ibson Roosevelt - Diretor do Ministério da Família – APlaC
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...