terça-feira, 14 de janeiro de 2014

10 COISAS QUE FAZEM UMA MULHER FELIZ



Agrade a sua esposa:

1. SURPRESA - A mulher adora ser surpreendida.

2. CARINHO - Para a mulher carinho é mais importante que orgasmo.

3. ATENÇÃO - Gastar tempo com ela fazer-lhe pequenos favores, tem mulher que precisa contratar um marido de aluguel.

4. EMOÇÃO - Fazer alguma coisa que deixe ela sem fôlego, café na cama, uma declaração de amor autentica.

5. ROMANCE - Nem sempre sexo é romance e arrotar e soltar gazes não tem nada de romântico.

6. DESEJADA - Ela quer ser desejada. Descobrir que, mesmo depois de muitos anos, ele continua atraído por ela.

7. DIÁLOGO - De que adianta um jantar em um restaurante chique se ele come sem parar e só responde por monossílabos.

8. GENTILEZAS - Atitudes como abrir a porta do carro, oferecer uma rosa, puxar a cadeira, etc, cativará o coração da sua esposa e de quebra as outras mulheres ficarão com inveja dela.

9. "EU TE AMO" - Mais do que fazer, falar. A porta do coração de uma mulher é o ouvido. Uma mulher nunca cansa de ouvir "eu te amo".

10. PRESENTE - Não se esqueça do presente.



Fonte: Pr. Silmar Coelho em seu site

sábado, 11 de janeiro de 2014

100º DIA - "FAMÍLIAS SAUDÁVEIS - É TEMPO DE AGRADECER E CONTINUAR!" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA


100º Dia
"Famílias Saudáveis – é Tempo de Agradecer e Continuar!"

Leitura Diária: Josué 24.1-27

Louvamos a Deus pelos 100 dias em que oramos em família. Por meio desses preciosos momentos o Senhor nos permitiu ver, sem dúvida, muitos frutos de conciliação, amor e paz na família, mas a Missão ainda não foi cumprida.

Nestes tempos difíceis devemos nos manter alerta para que nossas famílias permaneçam na presença do Senhor. São tempos em que se milita abertamente pela desestruturação familiar. Os interesses pessoais, muitas vezes duvidosos, e os desejos exagerados pelo consumo têm suplantado o cuidado com a família. Sua desestruturação e a redução de sua importância têm gerado muitos efeitos colaterais em nossa sociedade. A violência doméstica, as drogas, o crescimento do divórcio são alguns exemplos desse efeito nocivo da falta de cuidado com a família.

Gosto muito da declaração de Josué, que, ao fim da carreira que o Senhor lhe impôs, disse: “quanto a mim, eu e minha casa serviremos ao Senhor”. A trajetória de Josué não foi fácil, mas apesar de tanta responsabilidade e trabalho, preservou a família e não pensou apenas em si mesmo. No fim de sua carreira o seu discurso não dizia apenas de si mesmo, mas ele era uma família – “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” – como que afirmando que iria continuar, que sua escolha era firme.

Diante disso precisamos nos perguntar o quanto estamos integrados a nossas famílias. Essa parece ser uma pergunta importante a fazer. Será que de fato nos sentimos parte integrante dela, uma parte indissociável, entrelaçada de tal forma que se vamos servir a Deus faremos isso juntos? Meu irmão, minha irmã, precisamos continuar a orar com nossas famílias, pois nossa tarefa ainda não terminou.

Este foi apenas um treinamento, 100 dias que nos ajudaram a entender que precisamos avançar, mas precisamos fazer isso juntos, nós e as nossas famílias. Juntos rumo a uma experiência de oração e comunhão com Deus, que nos transformará, nos fortalecerá e produzirá efeitos que não adoecerão a nossa geração, mas irão transformá-la para a glória de Deus.

Vivamos, em família, para a glória de Deus!

Oremos:
1) Agradeçamos ao Senhor pela realização dos 100 Dias de Oração Impactando a Família;
2) Oremos pela continuidade da vida de oração em família;
3) Oremos pelo fortalecimento dos valores bíblicos nas famílias brasileiras;
4) Oremos para que nossas famílias sejam exemplo para a sociedade brasileira;
5) Ore por sua família.
 






Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Jaqueline C. Augusto da Hora Santos - 
Missionária Coordenadora do Programa de Evangelização de Crianças
Tema da Semana: Crianças Saudáveis







Leia Dia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

99º DIA - "FAMÍLIAS FORTALECIDAS, CRIANÇAS SAUDÁVEIS" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA



99º Dia
"Famílias Fortalecidas, Crianças Saudáveis!"

Leitura Bíblica: João 4.49-54; Lucas 7.1 1-16; Mateus 17.14-21

A Bíblia traz algumas histórias de famílias que viviam situações difíceis e que conseguiram ver seus dilemas solucionados quando colocaram diante de Jesus suas angústias.

Vemos, no início do ministério de Jesus, a cura do filho de um oficial do rei. A melhora do menino foi extraordinária. A cura resultou em uma grande festa que atingiu toda a família do garoto.

Lucas relatou a ressurreição do filho único de uma viúva em um povoado. Jesus sentiu a dor daquela mulher ao vê-la andando ao lado do esquife de seu filho acompanhada por uma pequena multidão.

Na Galileia, Jesus parece querer aproveitar a morte da filha única de Jairo, o líder da sinagoga, para dar mais uma aula prática para seus discípulos. Pediu segredo logo depois de ressuscitá-la, milagre que realizou em particular, no quarto dela, acompanhado apenas do pai, mãe e três discípulos.

Ao descer do monte da Transfiguração, no qual a glória de Jesus foi revelada, Ele encontra uma situação conflituosa, um pai buscando ajuda para seu filho que sofria de ataques demoníacos.

Muitas outras histórias poderiam ainda ser citadas, porém o comum em todas elas é que as famílias tinham problemas de diferentes níveis, mas todos causavam preocupação, angústia, dor, sofrimento, preocupação. Estas pessoas procuraram por Jesus e encontraram nEle mais do que soluções para seus problemas, encontraram a vida, a paz, a salvação.

As famílias de hoje continuam vivendo situações difíceis e muitas vezes inesperadas. Enquanto estivermos neste mundo estaremos sujeitos a toda a sorte de problemas, mas famílias saudáveis são aquelas que levam a Jesus suas dificuldades. Famílias que não se acusam ou se culpam por problemas que surgem, mas que se apoiam mutuamente e juntos buscam no Senhor a solução.

Famílias saudáveis emocionalmente e espiritualmente promovem um ambiente onde as crianças também são saudáveis a aprendem a buscar em Deus as soluções para os problemas da vida, transformam as dificuldades em oportunidades para serem “fortalecidos no Senhor e na força do seu poder”. Ser saudável não significa estar livre dos problemas, mas sim buscar naquele que “é poderoso para fazer tudo, muito mais além daquilo que pedimos ou pensamos” as soluções. Fortaleçamos nossas famílias dependendo somente de Deus em qualquer circunstância. Desta forma nossas crianças crescerão saudáveis confiando no Senhor.


Oremos:
1) Pelas famílias que estão atuando nos campos missionários;
2) Pelas famílias que estão enfrentando dificuldades, para que se fortaleçam no Senhor;
3) Pelas crianças de nossas famílias, para que cresçam saudáveis confiando em Deus;
4) Pelas crianças em geral, para que sejam guardadas das iniciações em doutrinas e rituais demoníacos.

 






Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Jaqueline C. Augusto da Hora Santos - 
Missionária Coordenadora do Programa de Evangelização de Crianças
Tema da Semana: Crianças Saudáveis







Leia Dia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):


sábado, 4 de janeiro de 2014

98º DIA - "CRIANÇAS À BEIRA DO CAMINHO" - CAMPANHA 100 DIAS DE ORAÇÃO IMPACTANDO A FAMÍLIA




98º Dia
"Crianças à Beira do Caminho"

Leitura Bíblica: Lucas 10.25-37

Certa vez li um texto de Ariovaldo Ramos, falando sobre as crianças esquecidas. Me emocionei porque percebi que muitas vezes há milhares delas bem ao meu lado e nem percebo. Inspirada naquele texto que li, compartilho algumas das reflexões que me fizeram pensar e mudar de atitude na esperança que produza o mesmo resultado na vida daqueles que terão oportunidade de ler.

A situação do mestre da lei retrata bem o estado da igreja brasileira. Temos pensadores e teólogos de todos os tipos, temos ótimas escolas de teologia, mas continuamos sendo uma igreja que sabe ‘tudo’ sobre Deus, mas não sabe a quem amar. Jesus mostrou como a misericórdia e amor devem ser demonstrados de forma prática, porem nós não conseguimos entender isso, porque o evangelho que vemos no Brasil é o evangelho do mestre da lei: um evangelho capaz de dizer “Eu sei o que é amar a Deus, mas não sei quem é o meu próximo”.

A criança é quem está à beira do caminho. Não é apenas uma questão de ver com os olhos, mas sim com o coração aquelas que precisam ser amadas e tratadas com misericórdia. O Brasil tem uma pessoa agonizando à beira do caminho. É uma criança que sofre pelo descaso do estado, pela falta de políticas públicas, pela violência doméstica, pelos abusos, pelo abandono familiar, pelas dificuldades de uma adoção tardia, pela ausência de uma educação de qualidade e saúde pública capaz de intervir diante de uma enfermidade inesperada.

Não podemos continuar agindo como o mestre da lei. Precisamos nos identificarmos com aqueles que estão necessitando de cuidado, ao invés de passar de largo pelas crianças estiradas; precisamos socorrer aquelas que representam o futuro deste país. Precisamos perceber as crianças que estão à beira do caminho, tais como as crianças indígenas e o infanticídio cultural que ainda é um problema comum em algumas aldeias; as crianças sem registro civil, inexistentes perante o estado e sem nenhum direito; crianças vítimas de violência armada organizada vivendo sob o “regime paralelo” do crime; crianças que vivem em trabalho forçado, algumas vezes em regime de escravidão infantil; crianças vítimas de aborto e que tem seu direito à vida negado ainda no ventre; crianças vivendo nas ruas das grandes cidades algumas vezes entrando na dependência das drogas; crianças que não têm oportunidades de convivência social por conta dos preconceitos que atingem aquelas que necessitam de acessibilidade.

O coração que ama a Deus serve o próximo caído à beira do caminho.

* Texto adaptado da Revista Mãos Dadas Ano VIII N.21 setembro/200B.

Oremos:
1) Pelas crianças deixadas à beira dos nossos caminhos;
2) Pelos nossos governantes, para que adotem políticas públicas eficazes nas áreas da saúde e da educação e contra a violência doméstica e o abandono familiar;
3) Pelas igrejas, para uma real identificação com a necessidade das crianças abandonadas;
4) Pelas crianças, para que não sejam presas fáceis do crime organizado, do tráfico de pessoas, da prostituição e do trabalho forçado;
5) Pelo fim da prática do aborto.


 






Fonte: Extraído do Livro 100 Dias de Oração
Escritora: Jaqueline C. Augusto da Hora Santos - 
Missionária Coordenadora do Programa de Evangelização de Crianças
Tema da Semana: Crianças Saudáveis







Leia Dia também outros devocionais da campanha (click nos links abaixo):

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...