quinta-feira, 24 de maio de 2018

Pr. Dener Maia - JESUS FAZ O SURDO OUVIR



Mensagem pregada no dia 15/04/2018 no Templo da Primeira Igreja Batista em São Vicente às 19h.

INTRODUÇÃO: As narrativas do ministério de Jesus são impressionantes. Seus ensinamentos, suas ordenanças, seu amor incondicional pelo Pai e pelos homens nos ensinam tantas coisas. Os milagres realizados por Jesus demonstraram o poder e a autoridade que Ele tinha para realizá-los e que só poderiam ser feitos pelo Messias. Isaías assim registra: “Então, se abrirão os olhos dos cegos, e se desimpedirão os ouvidos dos surdos” (Is 35.5).
Texto Bíblico: MARCOS 7.31-37
1 - JESUS OUVE AS NOSSAS SÚPLICAS
“Ali algumas pessoas lhe trouxeram um homem que era surdo e mal podia falar, suplicando que lhe impusesse as mãos.” (Marcos 7. 32)
2 – JESUS TEM OS SEUS MÉTODOS(7.33-35)
“Depois de levá-lo à parte, longe da multidão, Jesus colocou os dedos nos ouvidos dele. Em seguida, cuspiu e tocou na língua do homem. Então voltou os olhos para os céus e, com um profundo suspiro, disse-lhe: "Efatá!", que significa: Abra-se. Com isso, os ouvidos do homem se abriram, sua língua ficou livre e ele começou a falar corretamente.” (Marcos 7. 33-35)
3 – VOCÊ É UM SURDO OU OUVINTE?
“O povo ficava simplesmente maravilhado e dizia: "Ele faz tudo muito bem. Faz até o surdo ouvir e o mudo falar". (Marcos 7. 37)
CONCLUSÃO: O mesmo Deus que criou todas as coisas visíveis e invisíveis continua fazendo todas as coisas esplendidamente bem: abrindo os ouvidos dos surdos e desimpedindo a língua dos mudos. Peça a Ele que abra os seus ouvidos espirituais. Amém.

Pr. Dener Maia

sábado, 5 de maio de 2018

SÉRIE 1 PEDRO: 16 – EXORTAÇÕES AOS LÍDERES, AOS JOVENS E A TODA IGREJA


16 – EXORTAÇÕES AOS LÍDERES, AOS JOVENS E A TODA IGREJA
(21-06-2017)
Introdução: O apóstolo Pedro está concluindo sua primeira carta. Faz as últimas exortações à igreja. Tem ainda uma palavra específica aos líderes e aos jovens, para então oferecer uma aplicação geral a todos os cristãos.

Texto Bíblico: 1 Pedro 5.1-7
1 Portanto, suplico aos presbíteros que há entre vós, eu que sou presbítero com eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada:
2 pastoreai o rebanho de Deus que está entre vós, cuidando dele não por obrigação, mas espontaneamente, segundo a vontade de Deus; nem por interesse em ganho ilícito, mas de boa vontade;
3 nem como dominadores dos que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho.
4 Quando o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imperecível coroa da glória.
5 Do mesmo modo, vós, os mais jovens, sujeitai-vos aos presbíteros. Tende todos uma disposição humilde uns para com os outros, porque Deus se opõe aos arrogantes, mas dá graça aos humildes.
6 Portanto, humilhai-vos sob a poderosa mão de Deus, para que ele a seu tempo vos exalte,
7 lançando sobre ele toda vossa ansiedade, pois ele tem cuidado de vós.

1 – UM APELO À LIDERANÇA

O apóstolo Pedro faz um apelo veemente aos líderes. Mesmo tendo-se apresentado como apóstolo no início da epístola (1.1), agora, na conclusão, apresenta-se como presbítero (5.1). O apóstolo tem uma responsabilidade por todas as igrejas, ao passo que o presbítero tem uma responsabilidade mais restrita pelo grupo local de cristãos.
Antes de exortá-los, coloca-se como sympresbyteros, ou seja, copresbítero, na mesma posição dos exortados. Quão distante é a atitude de Pedro da posição em que o catolicismo romano o colocou! A declaração de que Pedro foi o primeiro papa, o bispo universal da igreja, o vigário de Cristo na terra, a pedra fundamental sobre a qual a igreja foi edificada, está em total desacordo com o ensino das Escrituras. O cabeça, o bispo universal e a pedra fundamental sobre a qual a igreja está edificada é o Senhor Jesus Cristo. O vigário de Cristo na terra, ou seja, o substituto de Cristo na terra, é o Espírito Santo que foi enviado para estar para sempre com a igreja. Constitui- -se um terrível engano colocar Pedro ou qualquer outro homem nessa posição que só pertence ao próprio Deus.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

SÉRIE 1 PEDRO: 15 – AÇÕES E REAÇÕES DIANTE DO SOFRIMENTO


15 – AÇÕES E REAÇÕES DIANTE DO SOFRIMENTO
(07-06-2017)
Introdução: Cumprindo bem a ordem recebida de Jesus que deveria apascentar as suas ovelhas, o apóstolo Pedro continua neste capítulo 4 nos orientando sobre como devemos agir e reagir diante do sofrimento. A maturidade desejada a todo cristão, passa pelo viés do sofrimento, que produzirá em nós um caráter aprovado.

TEXTO BÍBLICO: 1 Pedro 4.12-19
12 Amados, não se surpreendam com o fogo que surge entre vocês para os provar, como se algo estranho lhes estivesse acontecendo.
13 Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria.
14 Se vocês são insultados por causa do nome de Cristo, felizes são vocês, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vocês.
15 Se algum de vocês sofre, que não seja como assassino, ladrão, criminoso ou como quem se intromete em negócios alheios.
16 Contudo, se sofre como cristão, não se envergonhe, mas glorifique a Deus por meio desse nome.
17 Pois chegou a hora de começar o julgamento pela casa de Deus; e, se começa primeiro conosco, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?
18 E, "se ao justo é difícil ser salvo, que será do ímpio e pecador? "

1 - NÃO ESTRANHE O SOFRIMENTO

Amados, não se surpreendam com o fogo que surge entre vocês para os provar, como se algo estranho lhes estivesse acontecendo. Aprendemos, à luz deste versículo, algumas verdades importantes.
  • O SOFRIMENTO É COMPATÍVEL COM A VIDA CRISTÃ: O cristão deve até mesmo esperar as provações. Se o mundo perseguiu a Cristo, perseguirá a nós também. A IGREJA NÃO SE TORNA FIEL POR SER PERSEGUIDA; ELA É PERSEGUIDA POR SER FIEL. Jesus deixou isso claro: No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (Jo 16.33).
  • O SOFRIMENTO É PEDAGÓGICO: O sofrimento vem para nos provar, e não para nos destruir. O fogo ardente é o fogo da fornalha. E o cadinho onde o metal é purificado. O fogo só destrói a escória, enquanto purifica o metal. 

Satanás quis destruir Jó com o sofrimento, mas Deus quis revelar-lhe sua soberania. Satanás quis esbofetear o apóstolo Paulo com o espinho na carne, mas Deus quis quebrantá-lo para que não se ensoberbecesse. O diabo tenta, e Deus prova. O diabo tenta para nos destruir; Deus prova para nos purificar. Concordo com Kistemaker, quando diz: “Os cristãos devem entender que Deus deseja separar a verdadeira fé daquela que é mera imitação, e usa o instrumento do sofrimento para alcançar esse propósito”.312

sábado, 17 de março de 2018

CAÇADOR DE FRACASSADOS


CAÇADOR DE FRACASSADOS

(Assista ao vídeo dessa mensagem, inscreva-se no nosso canal, deixe o seu like e compartilhe com os seus contatos.)

Introdução: Você certamente já ouviu falar dos “caça talentos” que andam por aí. Existem os caça talentos do futebol, os famosos “olheiros” que vão às categorias de base em busca de um craque que possa brilhar nos campos do Brasil e do mundo. Também existem os caça talentos de top models, que andam pelas ruas, shoppings e até favelas à procura de uma beleza exótica e estonteante para brilhar nas passarelas da moda ou para estampar as capas de revistas. Mas você conhece algum “caça fracassos”? Alguém que procura anda procurando fracassados? Que tem disposição para restaurá-los e transformá-los? Vamos descobrir juntos. 
Texto Bíblico: Isaías 42.1-3 e Mateus 12.18-20
1. "Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações.
2. Não gritará nem clamará, nem erguerá a voz nas ruas.
3. Não quebrará o caniço rachado, e não apagará o pavio fumegante. Com fidelidade fará justiça;

Mateus 12:20,21
18. "Eis o meu servo, a quem escolhi, o meu amado, em quem tenho prazer. Porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará justiça às nações.
19. Não discutirá nem gritará; ninguém ouvirá sua voz nas ruas.
20. Não quebrará o caniço rachado, não apagará o pavio fumegante, até que leve à vitória a justiça.

1 - JESUS PROCURA OS FRACASSADOS 

 “Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações.” (Isaías 42.1)
Quando o Profeta Isaías escreveu esse texto que lemos, o povo de Israel estava vivendo na Babilônia, num cativeiro amargo que durou 70 anos. 2 Crônicas 36 narra o momento em que o Reino do sul (Judá) foi dividido, o templo foi destruído, as riquezas saqueadas, cerca de 200 mil foram levados como escravos e em Lamentações de Jeremias ele relata os reis revirando o lixo para encontrar comida,  algumas mães cozinharam seus próprios filhos para comer, um quadro de total fracasso de uma nação que deveria ser a representante na terra do Deus vivo, triúno, o todo-poderoso Jehová El-Shadai. Nesse contexto também foi composto o Salmo 137 onde lemos: 

quinta-feira, 1 de março de 2018

SÉRIE 1 PEDRO: 14 - UNIDOS PELA DOR




14 – UNIDOS PELA DOR
(31-05-2017)
Introdução: O sofrimento humano, ainda que não desejável, ainda nos abençoa de diversas maneiras. Como vimos na semana passada, o sofrimento nos ajuda a vencer o pecado, a nossa maneira de suportar a dor com a ajuda do Senhor se transforma num poderoso testemunho e ainda nos faz almejar e desejar ardentemente a volta de Jesus.
Ainda falando sobre isso, veremos hoje que o sofrimento também nos une e deve nos levar a vivermos e nos importamos com o sofrimento dos nossos irmãos.
Texto Bíblico: 1 Pedro 4:8-11
8 Antes de tudo, tende profundo amor uns para com os outros, porque o amor cobre um grande número de pecados.
9 Sede hospitaleiros uns para com os outros, sem vos queixar.
10 Servi uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons administradores da multiforme graça de Deus.
11 Se alguém fala, fale como quem comunica as palavras de Deus; se alguém serve, sirva segundo a força que Deus concede, para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, a quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém.

1 – SEJA AMOROSO E HOSPITALEIRO
SENSIBILIDADE AGUÇADA: O sofrimento produz em nós uma sensibilidade mais aguçada. Passamos a enxergar a vida e os outros com outros olhos. Tornamo-nos mais sensíveis, tolerantes, amáveis e generosos. O sofrimento ajuda a abrirmos o bolso, o coração e a casa para ajudar os irmãos. O sofrimento nos torna mais solidários. As grandes campanhas humanitárias são promovidas por pessoas que passaram por grande dor e sofrimento. Pedro destaca duas atitudes aqui.

- ABRA O CORAÇÃO PARA SEUS IRMÃOS. Antes de tudo, tende profundo amor uns para com os outros, porque o amor cobre um grande número de pecados (4.8). 

O VERBO UTILIZADO: A palavra que Pedro usa para descrever este amor cristão é ektenes (ἐκτενής), vocábulo que significa “aquilo que nunca falha”. Também traz a ideia do atleta que estica os músculos para dar o máximo de si na corrida.

AMOR INTENSO: que exigirá o máximo do nosso esforço, o máximo de suas energias espirituais, mentais e físicas. Significa amar a pessoa que não é digna de ser amada; amar apesar da injúria e do insulto; amar mesmo quando esse amor não é correspondido. É o amor que exigirá toda a nossa energia.

O QUE PEDRO QUIS DIZER SOBRE COBRIR MULTIDÃO DE PECADOS?

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

SÉRIE 1 PEDRO: 13 – O PROPÓSITO DO SOFRIMENTO NA VIDA DO CRISTÃO


13 – O PROPÓSITO DO SOFRIMENTO NA VIDA DO CRISTÃO
(24-05-2017)

Introdução: Muitos cristãos entram em crise quando passam por sofrimento. Perguntam: Por que um cristão sofre? Será que está em pecado? Será que Deus o está castigando? Ele não tem fé ou desconhece seus direitos?
Outros ainda indagam: Se existe sofrimento, Deus existe mesmo? Se Deus é bom e também onipotente, por que não destrói o mal? Por que precisamos sofrer? Por que coisas más acontecem com pessoas boas?
O apóstolo Pedro oferece alguns princípios para triunfarmos no meio do sofrimento.

Texto Bíblico: 1 Pedro 4:1-7
1 Portanto, uma vez que Cristo sofreu na carne, armai-vos também desse mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne já está livre do pecado;
2 para que, no tempo que ainda vos resta na carne, não continueis a viver para os desejos dos homens, mas para a vontade de Deus.
3 Porque basta que no tempo passado tenhais cumprido a vontade dos gentios, andando em libertinagem, prazeres, embriaguez, orgias, bebedeiras e idolatrias repulsivas.
4 Eles acham estranho que não vos juntais a eles na mesma carreira desenfreada de licenciosidade e vos difamam.
5 Terão de prestar contas àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos.
6 Pois é por isso que o evangelho foi pregado também aos mortos, para que, embora julgados segundo os homens quando na carne, vivam segundo Deus pelo Espírito.
7 Mas já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, tende bom senso e estai alertas em oração.

1 – O SOFRIMENTO NOS AJUDA A VENCERMOS O PECADO 

O sofrimento faz o pecado perder o poder em nossa vida. Enquanto o sofrimento endurece o ímpio, amolece o coração do crente. O exemplo do sofrimento de Cristo ajuda o cristão a enfrentar o sofrimento com a mesma disposição. O cristão não é melhor do que o seu Senhor. Se o mundo perseguiu a Cristo, infligirá sofrimento a nós também. O sofrimento nos leva a entender que os prazeres do mundo e as paixões da carne não compensam. O sofrimento nos leva a desmamarmos do mundo.
O cristão deve ter três atitudes em relação ao pecado.

1. DECLARAR GUERRA AO PECADO. Portanto, uma vez que Cristo sofreu na carne, armai-vos também desse mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne já está livre do pecado (4.1). Pedro nos convoca a sermos como soldados que colocam seus equipamentos e se armam para a batalha. Nessa guerra espiritual devemos tomar toda a armadura de Deus (Ef 6.11).

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

SÉRIE 1 PEDRO: 12 - O SOFRIMENTO E A VITÓRIA DE CRISTO


12 – O SOFRIMENTO E A VITÓRIA DE CRISTO
(17-05-2017)
Introdução: No texto anterior Pedro orientou os crentes a como se comportarem diante do sofrimento, isso é, sendo corretos, não revidarem ou se vingarem, mesmo quando sofrerem injustamente e a se alegrarem quando sofrerem por causa de Cristo. Além disso, que deveriam estar prontos para defenderem sua fé com mansidão e respeito.
Para justificar o motivo dessa orientação, agora o apóstolo nos fala do sofrimento que o próprio Jesus suportou e mais do que isso, também venceu de forma triunfante e retumbante.

Texto Bíblico: 1 Pedro 3:18-22

18 Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito,
19 no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão
20 que há muito tempo desobedeceram, quando Deus esperava pacientemente nos dias de Noé, enquanto a arca era construída. Nela apenas algumas pessoas, a saber, oito, foram salvas por meio da água,
21 e isso é representado pelo batismo que agora também salva vocês — não a remoção da sujeira do corpo, mas o compromisso de uma boa consciência diante de Deus — por meio da ressurreição de Jesus Cristo,
22 que subiu ao céu e está à direita de Deus; a ele estão sujeitos anjos, autoridades e poderes.

1 - O SOFRIMENTO DE CRISTO

“Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus.” (1 Pedro 3.18a)
Quando o cristão se vê obrigado a sofrer cruel e injustamente por causa de sua fé, só está percorrendo o mesmo caminho que seu Senhor e Salvador percorreu.
Com respeito à morte vicária de Cristo, destacamos três pontos importantes.

A SUA EFICÁCIA. Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas,... (3.18a). Cristo foi nosso exemplo na submissão e agora é nosso exemplo no sofrimento. O sofrimento de Cristo, porém, é único e sem paralelos. O sofrimento de Cristo é vicário. Sua morte fez cessar todos os sacrifícios judaicos. Os sacrifícios sacerdotais no templo tinham de ser repetidos diariamente, mas Cristo fez o sacrifício perfeito e definitivo ao oferecer-se a si mesmo (Hb 7.27). 
O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO. 
JESUS CANCELOU O ESCRITO DE DÍVIDA QUE ERA CONTRA NÓS e 
DESPOJOU OS PRINCIPADOS E POTESTADES (CL 2.14,15). 

A SUA FORMA.... o justo pelos injustos... (3.18b). Mueller observa que estamos aqui numa situação em que toda a humanidade, sem exceção, está colocada de um lado, e Cristo está posto sozinho, do outro. Cristo, que é justo, tomou sobre si os pecados do povo injusto. 
Paulo afirmou aos Romanos: “Como está escrito: Não há um justo, nenhum sequer” (Romanos 3.10). O sofrimento de Cristo foi por nossa causa, e o mistério é que aquele que não merecia sofrer padeceu em nosso lugar aquilo que nós teríamos de sofrer.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...